Gospel Prime

Violência sexual é o problema que mais afeta crianças no Brasil, diz pesquisa

today23 de maio de 2022 6

Fundo
share close

De acordo com uma pesquisa elaborada pela ONG Visão Mundial, violência sexual é o problema que mais afeta crianças e adolescentes no Brasil.

A pesquisa “Análise do Sistema de Garantia de Direitos e da Rede de Proteção da Infância e Adolescência no Brasil” foi apresentada na última terça-feira, 17 de maio, na Universidade Presbiteriana Mackenzie, na capital paulista.

Com o objetivo de entender os principais desafios das crianças e dos adolescentes brasileiros, a pesquisa busca propor caminhos para aumentar a proteção dessa parcela da sociedade, que é uma das mais vulneráveis de todas.

“A pesquisa traz ferramentas que nos permitem ter um efetivo material para trazer a realidade das crianças e adolescentes para as pessoas que tomam decisões dentro da nossa nação”, afirmou Ismael Rocha, presidente do Conselho Diretor da Visão Mundial. Realizado

Realizado entre abril e setembro do ano passado, com 222 crianças, 174 adolescentes, 244 adultos e 89 atores sociais de oito municípios em que a Visão Mundial atua, o estudo traz dados reveladores do contexto atual de proteção de crianças e adolescentes.



Ao todo, foram 729 pessoas ouvidas, por meio de grupos focais e questionários, com o objetivo de compreender a percepção delas sobre o que afeta a infância e a juventude em suas realidades.

Os municípios pesquisados foram Recife (PE); Fortaleza (CE); Governador Dix-Sept Rosado (RN); Inhapi (Alagoas); Manaus (AM); Nova Iguaçu (RJ); Salvador (BA) e São Paulo (SP). 

“Quando tive meus primeiros contatos com a Visão Mundial, aprendi o respeito que ela tem pelo ser humano, a inteligência do ser humano, pela ciência e pelos bons procedimentos técnicos. A Visão Mundial faz um trabalho preciosíssimo. Portanto, estarmos próximos à Visão Mundial em projetos desta envergadura, a nós muito nos alegra”, afirmou Cleverson Pereira de Almeida, pró-reitor de Extensão e Cultura do Mackenzie.

Dados da Pesquisa

De acordo com o levantamento, foram identificadas cinco questões prioritárias para a infância e a adolescência no Brasil: violência sexual, matrimônio infantil, gravidez na adolescência, educação interrompida, trabalho infantil, insegurança alimentar e letalidade infantojuvenil.

Outros dados levantados pela pesquisa, junto ao Relatório do Disque Direitos Humanos, o Disque 100, identificaram que as crianças e adolescentes os que mais tiveram registros de violência.

Foram 86.837 novos casos de violação de direitos da infância e da adolescência no Brasil em relação ao ano anterior, com o abuso sexual na quarta colocação em volume de notificações registradas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Gospel Prime.

Por: Michael Caceres

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

dupla-se-passa-por-cliente-para-distrair-vendedora-e-furtar-pecas-de-roupa-em-loja-no-litoral-de-sp;-video

G1 Santos

Dupla se passa por cliente para distrair vendedora e furtar peças de roupa em loja no litoral de SP; VÍDEO

Funcionária desconfiou na hora, mas "foi tudo muito rápido". Prejuízo foi de cerca de R$ 200. Dupla se passa por cliente para distrair vendedora e furtar peças de roupa em SP Duas mulheres distraíram uma funcionária e levaram dois conjuntos infantis de uma loja de roupas do Shopping Pátio Iporanga, em Santos, no litoral de São Paulo. O caso aconteceu no último sábado (21), por volta das 20h30. De acordo […]

today23 de maio de 2022 168 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%