G1 Mundo

Vitória de Modi na Índia tem gosto de derrota

today5 de junho de 2024 11

Fundo
share close

Bloco de oposição freia planos ambiciosos de primeiro-ministro de obter a maioria absoluta e promover reformas na Constituição.


Narendra Modi em 22 de maio de 2024 — Foto: Adnan Abidi/Reuters



O primeiro-ministro Narendra Modi impôs a meta de conquistar 400 dos 543 assentos da Lok Sabha, como é conhecida a Câmara baixa do Parlamento indiano. A vitória, com maioria absoluta, lhe daria as credenciais necessárias para fazer reformas na Constituição.

As urnas, porém, responderam com um golpe amargo na reputação e na popularidade do premiê nacionalista hindu, que imprimiu uma marca divisionista no país em dez anos no cargo, remodelando a democracia secular da Índia. O discurso do ódio prevaleceu durante a sua campanha à reeleição.

Modi adentra o terceiro mandato no comando do país mais populoso do mundo, mas com capital político menor do que o previsto, segundo a contagem preliminar. A Aliança Democrática Nacional (NDA na sigla em inglês), que engloba o BJP, partido do premiê, ficou com 294 cadeiras — acima da maioria simples, mas muito aquém dos 353 conquistados nas eleições de 2019.

Estratégia do ódio não funcionou

Reunida na fusão de 28 partidos e batizada com o nome de ÍNDIA (Aliança Inclusiva para o Desenvolvimento Nacional Indiano), a oposição surpreendeu todos os prognósticos e pode ter obtido mais de 230 cadeiras. Freou os planos ambiciosos do primeiro-ministro. Conforme declarou Sanjay Singh, do partido opositor Aam Aadmi, as urnas mostraram que “o povo votou contra o ódio e a ditadura”.

O resultado revela que a estratégia de Modi não funcionou. Ele atiçou o medo à campanha, apresentando-se como enviado de Deus e salvador da população hindu. Em seus comícios, incentivou a retórica anti-muçulmana, referindo-se à minoria como “infiltrados” ou “aqueles com mais crianças”, e alegou que seus opositores introduziram cotas obrigatórias para minorias caso conquistassem o poder.

O revés nas urnas deixa claro ainda que a oposição —personificada em Rahul Gandhi, o principal adversário do premiê— soube capitalizar a seu favor a retórica inflamatória do premiê e ganhou impulso, contrariando as pesquisas de opinião.

No terceiro mandato consecutivo, o primeiro-ministro iguala-se ao primeiro líder da Índia pós-independência, Jawaharlal Nehru. No mundo ideal de Modi, ele dirigiria o país com maioria absoluta, seguindo o estilo centralizador. No mundo real, dependerá dos partidos nanicos de sua coligação. Com a redução drástica da margem do premiê, esta vitória deu a ele o sabor da derrota.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

trump-arrecada-quase-r$-280-milhoes-um-dia-apos-condenacao-historica

G1 Mundo

Trump arrecada quase R$ 280 milhões um dia após condenação histórica

Nas 24 horas após o veredito em Nova York, a campanha do pré-candidato afirma ter arrecadado US$ 52,8 milhões (R$ 278 milhões), quebrando recordes online para o partido. A arrecadação pode ajudar o republicano a fechar uma lacuna financeira expressiva em relação ao presidente Joe Biden. O dinheiro tem sido uma das vantagens de Biden até agora em 2024. Em maio, o principal comitê de campanha do democrata entrou com […]

today5 de junho de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%