G1 Mundo

Xi e Putin reforçam a parceria estratégica que sobrevive na hostilidade aos EUA

today20 de março de 2023 9

Fundo
share close

Juntos, os autoritários Xi e Putin querem ser vistos como líderes de uma nova ordem mundial, em contraposição à liderança dos EUA e que despreza ações multilaterais como a do TPI, ao qual os dois países não são signatários.

No início do terceiro mandato, o líder chinês desempenha seu melhor papel de estadista global, incensado por um acordo obtido entre Irã e Arábia Saudita – as duas potências muçulmanas arqui-inimigas do Oriente Médio.

Xi diz querer a paz na Ucrânia e divulgou recentemente seu- plano de ação de 12 pontos, que passa ao largo do princípio básico – a retirada das tropas russas do país.



A China se vê como mediador imparcial para o conflito, embora seja acusada pelos EUA de fornecer armas à Rússia. A visita do líder chinês cai como uma luva para Putin, que precisa reabilitar sua imagem de czar moderno junto aos russos.

Xi Jinping chega à Rússia para planejar 'cooperação' em meio a tensões com os EUA

Xi Jinping chega à Rússia para planejar ‘cooperação’ em meio a tensões com os EUA

Xi já o socorreu após a anexação da Crimeia, em 2014, ajudando o país a escapar das sanções impostas pelos EUA. Não tem sido diferente desde então; as relações econômicas entre os dois países se mostram mais sólidas.

A China representa mais de 40% das importações da Rússia. A compra de gás natural, a preços reduzidos, aumentou em um terço, compensando perdas russas em vendas para o mercado europeu.

A China de Xi garantiu sobrevida econômica à Rússia de Putin. O líder chinês não condenou a guerra, mas deverá se manter cauteloso em relação aos seus desdobramentos. Especula-se que ele aproveitará a viagem a Moscou para propor um cessar-fogo imediato e telefonar ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, reforçando, assim, o seu papel de pacificador. Seria o primeiro contato, ainda que virtual, entre os dois líderes.

O presidente chinês é mestre na arte do equilíbrio: sabe que para liderar uma ordem mundial alternativa, o abraço ao velho e bom amigo Putin não pode ser incondicional e sem limites. Mas a mensagem que ambos mandam neste encontro é evidente: a de que a sua aliança estratégica resiste na hostilidade aos EUA.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ue-aprova-plano-de-2-bilhoes-de-euros-para-fornecer-municao-a-ucrania

G1 Mundo

UE aprova plano de 2 bilhões de euros para fornecer munição à Ucrânia

Ministros das Relações Exteriores de países da União Europeia (UE), reunidos em Bruxelas nesta segunda-feira (20), chegaram a um acordo para desbloquear 2 bilhões de euros (R$ 11 bilhões) para fornecer o enorme volume de munição solicitado pela Ucrânia e aumentar a produção no bloco, disseram diplomatas. Os ministros aprovaram um plano de três etapas para entregar um milhão de munições de 155 mm à Ucrânia, restaurar estoques estratégicos nacionais […]

today20 de março de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%