G1 Mundo

Zelensky enfrenta a resistência de republicanos radicais no Congresso americano

today22 de dezembro de 2022 10

Fundo
share close

O Congresso deve aprovar até o fim da semana um pacote de US$ 45 bilhões em novos gastos para a Ucrânia, mas vive seus últimos dias de primazia democrata. Em janeiro, os republicanos assumirão o controle da Câmara, e a ala mais radical do partido demonstrou claramente a resistência a “assinar um cheque em branco para Kiev”, como observou o líder da maioria, Kevin McCarthy.

Embora ovacionado no plenário, Zelensky foi cauteloso como um equilibrista em campo minado, para não se fazer parecer tão vinculado ao presidente Biden e aos democratas. “Seu dinheiro não é caridade. É um investimento na segurança global e na democracia, que manejamos da maneira mais responsável.”

O apelo do presidente ucraniano era um recado aos republicanos sobre a necessidade de que mantenham a união bipartidária sobre a guerra. “Vocês podem acelerar nossa vitória”, assegurou. Boa parte o aplaudiu de pé, mas os mais radicais sequer compareceram. Os que estavam no plenário permaneceram sentados.



De acordo com o levantamento do site “The Hill”, 86 dos 213 republicanos assistiram ao discurso de Zelensky, num indício de que o tema desencadeará uma briga ruidosa no próximo ano legislativo. Se os moderados respaldam a ajuda à Ucrânia, os céticos alegam que a guerra de Putin não é de interesse americano e que seus gastos são excessivos e desviam a atenção das prioridades domésticas, como, por exemplo, o reforço da fronteira com o México.

Com a aprovação do pacote de US$ 45 bilhões, os EUA terão contribuído, desde o início da guerra, em fevereiro, com US$ 110 bilhões em assistência à Ucrânia. A visita repentina de Zelensky a Washington obedeceu a outro parâmetro – o climático.

O inverno chegou e, como observou o presidente Biden, vem sendo utilizado como arma de guerra pela Rússia, ao bombardear, com drones, a infraestrutura do país, deixando boa parte da população sem energia elétrica e aquecimento.

Zelensky voltou para Kiev dez horas depois, levando a promessa de Biden de entregar uma bateria de mísseis Patriot para ajudar a Ucrânia a se defender de ataques aéreos. É suficiente?, questionou o presidente ucraniano, para em seguida responder: “Honestamente, não”. Ele indicou que em breve estará de volta aos EUA para pedir mais.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

fome-na-etiopia:-o-menino-chamado-‘rico’-que-pesa-metade-do-que-deveria

G1 Mundo

Fome na Etiópia: o menino chamado ‘Rico’ que pesa metade do que deveria

Enquanto o médico levanta seu suéter e calça de moletom para mostrar seus braços e pernas finos, sua mãe observa impassivelmente. Ela não quer dar seu nome. Esta é a realidade diária da fome e da desnutrição após dois anos de guerra civil na região do Tigré, no norte da Etiópia. Um acordo de paz encerrou o combate, mas as consequências do conflito permanecem. Em agosto, a Organização das Nações […]

today22 de dezembro de 2022 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%