G1 Mundo

A cachorra de seis patas que causou comoção ao ser abandonada e recebeu onda de doações

today22 de janeiro de 2024 6

Fundo
share close

Desde então, o animal ganhou as manchetes por conta das suas seis patas. Ativistas das causas animais iniciaram uma campanha para que ela passasse por uma cirurgia de remoção da pata extra.

A iniciativa arrecadou cerca de US$ 19 mil (cerca de R$ 93 mil) e teve doações de todo o mundo, já que o caso teve grande repercussão em muitos países.

Com o dinheiro arrecadado, ela passou por uma cirurgia, que foi considerada um sucesso, e os médicos conseguiram salvar os quatro membros “normais” dela, após temerem que ela também tivesse que amputar algum deles.



Mikey Lawlor é o fundador e gerente do Greenacres Rescue, o centro que acolheu Ariel depois que ela foi descoberta sozinha, magra e em sofrimento.

“O veterinário que inicialmente examinou Ariel notou que, além das duas patas traseiras extras, ela também tinha uma vulva extra”, disse Lawlor.

E uma tomografia computadorizada revelou que ele tinha apenas um rim, o que aumentou a complexidade do tratamento médico.

“Como ela tinha duas articulações do quadril de um lado, a pélvis de Ariel nunca se formou adequadamente.”

“Como resultado, sua perna direita traseira normal praticamente não tinha tônus ​​muscular, então havia a possibilidade de que ela também pudesse ter sido perdida”.

“Felizmente não foi esse o caso, pois essa perna deu sinais de estar muito mais forte nos últimos meses.”

Em busca de um lugar permanente

Ariel, batizada em homenagem à personagem de “A Pequena Sereia” da Disney porque suas patas traseiras extras parcialmente fundidas lembravam a cauda de uma sereia, foi submetida a uma cirurgia no hospital veterinário Langford Small Animal em Somerset, sudoeste do Reino Unido, na quinta-feira (18/1).

Pessoas de todo o mundo doaram dinheiro para que Ariel pudesse ser operada — Foto: BBC

“Ela passou por dois procedimentos que duraram cerca de duas horas, mas ambos correram bem”, explicou Lawlor.

“No dia seguinte, ela estava acordada, andando, comendo e bebendo.”

“Agora só temos que cruzar os dedos para que ela não pegue nenhuma infecção, mas ela realmente está nas melhores mãos.”

Lawlor espera que Ariel receba alta ainda neste fim de semana para voltar para casa, para sua família temporária, no oeste do País de Gales.

“Então, depois de várias semanas de fisioterapia e recuperação, descobriremos como encontrar um lar para ele para sempre”, acrescentou.

“A resposta que tivemos à história de Ariel até agora, incluindo ligações e e-mails de lugares tão distantes como Nova York e Austrália, foi incrível, então não tenho dúvidas de que ela será acolhida.”

“Não posso agradecer o suficiente a todos que contribuíram para ajudá-la.”

Uma radigrafia revelou que Ariel tinha duas articulações do quadril no lado direito — Foto: BBC

A diretora do hospital veterinário de Langford, Vicki Black, acrescentou: “Ariel era uma cachorra complicada, cujos cuidados exigiam uma estreita colaboração entre várias de nossas equipes especializadas, incluindo especialistas em ortopedia, cirurgia de tecidos moles, anestesia e radiologia”.

“Como parte da Universidade de Bristol, somos um centro comprometido com a aprendizagem ao longo da vida e temos orgulho de inovar e tratar animais de estimação como Ariel.”

“Estamos felizes que um animal tão adorável tenha se recuperado bem da cirurgia”, finalizou.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

lacerdinhas-infestam-praias-no-litoral-de-sp-e-causam-coceira-e-irritacao-em-banhistas

G1 Santos

Lacerdinhas infestam praias no litoral de SP e causam coceira e irritação em banhistas

O cabeleireiro Thiago Crepaldi Ferraz, de 40 anos, estava com a família na praia do bairro Boqueirão, em Praia Grande, quando notou os insetos. "Começamos a sentir o corpo coçar e, quando olhamos para a pele, vimos esses pequenos insetos em nosso corpo. Achamos que fosse bichinho de mofo do guarda-sol do carrinho de praia". Conforme apurado pelo g1, muitos banhistas em Santos também se queixaram dos lacerdinhas na cidade. […]

today22 de janeiro de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%