G1 Mundo

A complicada convivência entre Bento XVI e seu sucessor, Francisco

today31 de dezembro de 2022 11

Fundo
share close

Algumas de suas decisões marcaram uma vontade diferente e provocaram desconcerto em muitos católicos: continuou chamando-se “Papa Romano Pontífice emérito Bento XVI”, o nome que o alemão Joseph Ratzinger escolher ao ser eleito papa em 2005; e continuou usando batina branca e morando no Vaticano.

A presença de dois papas, “os dois de branco”, como reforçou a imprensa na época, provocou um problema inédito na história recente da Igreja.

O primeiro pontífice a renunciar ao Trono de Pedro em seis séculos tinha prometido viver “escondido do mundo” em um antigo mosteiro, levando uma vida de contemplação e pesquisa acadêmica.



Mas acabou intervindo em temas delicados, como o abuso sexual praticado por padres, e pronunciando-se sobre a possibilidade de ordenar homens casados sacerdotes.

“Tão nobre, tão gentil”, diz Papa Francisco sobre Bento XVI

Em 2020, a contribuição do ancião Bento XVI em um livro de defesa do celibato foi interpretada como uma nova tentativa de pressionar Francisco, orquestrada pelos opositores do papa argentino.

Setores ultraconservadores da Igreja transformaram Bento XVI no símbolo da ortodoxia teológica frente a Francisco, a quem chegaram a chamar de herege por sua abertura no campo social.

Muitos especialistas afirmam que esta tensão pode ter sido alimentada pela falta de regras precisas sobre o papel de um pontífice que renuncia.

Bento 16 se encontrava regularmente com o papa Francisco (à direita) — Foto: VATICAN POOL

“Houve indícios de possíveis problemas desde o começo”, escreveu Richard Gaillardetz, professor de teologia católica do Boston College no National Catholic Reporter.

“A publicação de pontos de vista sobre temas controversos, quando provêm de uma pessoa que insiste em merecer o título de papa (ainda que emérito), veste-se com as indumentárias papais e reside no Vaticano, representa um problema profundo”, acrescentou.

Muitos apoiadores de Bento XVI avaliam, inclusive, que ele deveria ter usado seu nome de registro, Joseph Ratzinger, quando assinou sua contribuição para o livro polêmico.

O historiador Francesco Margiotta Broglio, chefe da Comissão para a Liberdade Religiosa da Itália, considera que “Ratzinger não deveria nem escrever, nem falar”.

Papa Francisco e Bento XVI reunidos com 13 novos cardeais nomeados na Basílica de São Pedro, no Vaticano, em 2019 — Foto: Handout / Vatican Media / AFP

A idade avançada de Bento XVI, que sempre teve uma saúde delicada e nos últimos anos enfrentou dificuldades para falar e escrever, levou observadores a se perguntarem se ele era o real autor das reflexões publicadas.

“É provável que alguns prelados contrários a Francisco tenham tentado ocultar um complô sob o manto do papa emérito”, comentou Massimo Faggioli, professor de teologia da Universidade de Villanova.

Bento XVI admitiu, ao renunciar, que não tinha forças, nem mentais, nem físicas, para reinar sobre o destino de mais de 1,2 bilhão de católicos.

Papa Emérito Bento XVI morre aos 95 anos

Papa Emérito Bento XVI morre aos 95 anos

Seu secretário pessoal, Georg Gaenswein, contou em 2016 que o pontífice emérito estava “desaparecendo lentamente”.

“As intervenções de Bento XVI nos últimos anos geraram dúvidas, dada sua enfermidade e idade (…) Algumas pessoas pensam que ele pode ter sido manipulado por quem queria desacreditar Francisco, mesmo que o próprio Bento não quisesse”, disse Gaillardetz.

Faggioli considera necessário estabelecer o que se deve fazer com um papa emérito, visto que este problema pode voltar a ocorrer.

Não se exclui que, a partir de agora, os pontífices que renunciarem tenham que abrir mão das insígnias papais e de morar no Vaticano.

Este mês, Francisco revelou ter assinado uma carta de renúncia há quase uma década caso sua saúde o impeça de continuar desempenhando suas funções.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

voo-decola-em-1o-de-janeiro-de-2023-e-chega-em-31-de-dezembro-de-2022

G1 Mundo

Voo decola em 1º de janeiro de 2023 e chega em 31 de dezembro de 2022

Aeronave saiu de Seul, na Coreia do Sul, em direção a San Francisco, nos Estados Unidos. Situação acontece em razão do fuso horário. Voo da United que deixou Seul em 1º de janeiro e chega a San Francisco em 31 de dezembro — Foto: Reprodução/FlightRadar24 Passageiros de um voo da United têm a sensação de voltar no tempo --e podem celebrar dois Réveillons: isso porque a aeronave decolou de Seul […]

today31 de dezembro de 2022 14

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%