G1 Mundo

A Rússia está virando o jogo na guerra com a Ucrânia?

today20 de fevereiro de 2024 6

Fundo
share close

Quando foi nomeado para o cargo este mês, o novo chefe das Forças Armadas da Ucrânia, general Oleksandr Syrskyi, disse que “preferia a retirada do que sacrificar vidas”, e foi isso que ele fez nesta cidade no leste do país.

Embora os russos tenham sofrido enormes perdas, quatro meses de ataques implacáveis ​​deixaram as tropas ucranianas em menor número, desarmadas e sem munições.

Essa foi a maior vitória de Moscou desde a fracassada contra-ofensiva da Ucrânia no ano passado.



Avdiivka foi brevemente ocupada pela Rússia em 2014, antes de ser retomada pela Ucrânia.

O que a queda de Avdiivka para os russos significa para o conflito em geral?

Agora que o conflito prolongado está se tornando uma guerra de desgaste, a diferença entre o tamanho da Ucrânia e da Rússia está tendo um impacto na guerra.

A população da Rússia, de 144 milhões, é mais de quatro vezes maior que a da Ucrânia.

Avdiivka foi gravemente danificada após os ataques russos. Esta foto mostra a cidade em novembro. — Foto: Reuters via BBC

Apesar de ter perdido milhares de soldados no processo, Moscou está fazendo valer o seu tamanho, reabastecendo suas tropas quase imediatamente.

As forças ucranianas também sofreram perdas, embora não na mesma extensão.

Mas como também acontece com outros assentamentos ucranianos na linha de frente, a Rússia assumiu o controle de uma cidade quase completamente destruída.

A 3ª Brigada de Assalto Ucraniana, posicionada lá, disse estar sendo atacada pela infantaria de todas as direções.

A Rússia concentrou os seus soldados mais bem treinados na área e acredita-se que esteja lançando até 60 bombas por dia contra posições ucranianas.

A última vez que os russos tomaram uma cidade ucraniana, Bakhmut, o general Syrskyi foi criticado. Ele foi acusado de buscar uma vitória simbólica à custa de baixas desnecessárias.

Essa experiência parece ter gerado uma mudança de postura.

Rússia toma controle de cidade estratégica após saída de tropas da Ucrânia

Rússia toma controle de cidade estratégica após saída de tropas da Ucrânia

Este avanço russo não ocorreu da noite para o dia. Desde outubro passado, Moscou lançou onda após onda de ataques contra Avdiivka.

A partir das suas altas posições e das defesas reforçadas, os ucranianos conseguiram deter os russos com ataques direcionados, deixando a paisagem do Donbass repleta de corpos russos e veículos blindados destruídos.

Parece agora que as tropas russas penetraram nas defesas que tinham sido reforçadas ao longo dos dez anos desde o início da campanha de Moscou na região.

Para frustração de Kiev, a Ucrânia não conseguiu romper as linhas russas em outros locais, que foram construídas em uma questão de meses.

“A Rússia não pode atingir objetivos estratégicos, apenas objetivos tácticos”, afirma o major Rodion Kudryashov, vice-comandante ucraniano da 3ª Brigada de Assalto.

Ele afirma que suas tropas estão em menor número — em até sete para um. Em entrevista por telefone, ele me disse: “É como lutar contra dois exércitos”.

Ele está confiante de que os russos não avançarão ainda mais em direção a cidades como Pokrovsk e Kostantinovka, mas isso está longe de ser garantido.

Mas isso alivia a pressão sobre a cidade de Donetsk, que fica 15 quilômetros mais a leste e que a Rússia ocupa desde 2014.

A Ucrânia já foi forçada a recuar desta forma em outras ocasiões, especialmente no verão de 2022.

Unidades russas grandes e bem equipadas cercaram cidades como Lisichansk e Severodonetsk. Os ucranianos pouco puderam fazer para contê-los.

O presidente Volodymyr Zelensky atribuiu a queda da cidade de Avdiivka, no leste da Ucrânia, à falta de armas de longo alcance. — Foto: Reuters via BBC

No entanto, a chegada de armas ocidentais e uma mudança nas táticas alterou os eventos do conflito no final desse ano, quando as tropas ucranianas libertaram áreas nas regiões de Kherson e Kharkiv.

Mas agora, esta é uma guerra diferente.

A política global está tendo um impacto mais significativo no campo de batalha.

A ajuda ocidental intermitente contribuiu diretamente para esta provável retirada ucraniana em Avdiivka.

Os Estados Unidos são o país que mais fornece armas à Ucrânia. Mas um pacote de US$ 95 bilhões de ajuda à Ucrânia está parado em Washington, e outros aliados não estão conseguindo preencher a lacuna deixada pelos EUA.

Isso significa que os ucranianos precisam racionar munições e gerir o moral baixo.

E Avdiivka pode não ser a única retirada que Kiev está considerando.

O presidente russo, Vladimir Putin, ainda quer invadir toda a Ucrânia — e ainda é possível que ele consiga tomá-la.

Essa perspectiva poderia restaurar a unidade ocidental contra a Rússia. Ou o contrário: aumentar o ceticismo de que a Ucrânia nunca seria capaz de vencer esta guerra, apesar da defesa extraordinária que implantou em Avdiivka e em outros locais.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

viuva-e-acusada-na-justica-de-envolvimento-na-morte-de-presidente-do-haiti

G1 Mundo

Viúva é acusada na Justiça de envolvimento na morte de presidente do Haiti

As informações estão em um relatório de 122 páginas que o juiz do caso tornou público nesta segunda-feira (19). Martine é acusada na Justiça do Haiti de cumplicidade e associação para cometer um crime, mas não de ordenar a morte do marido, que ocorreu entre 6 e 7 de julho de 2021. Diversos políticos ou pessoas com cargo de autoridade foram processados. O ex-primeiro ministro Claude Joseph também foi processado […]

today20 de fevereiro de 2024 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%