G1 Mundo

Adolescente é resgatada de escombros três dias após ataque israelense que matou sua família em Gaza

today7 de março de 2024 7

Fundo
share close

A chamada aconteceu no início do calvário de três dias vivido por Hala Hazem Hamada, de 15 anos, que finalmente foi resgatada na terça-feira após um ataque israelense que deixou seis de seus familiares mortos, incluindo seus pais.

Soldados israelenses chegaram no sábado ao complexo residencial onde a família de Hala se refugiou, vinda do norte de Gaza, nos arredores da cidade de Khan Yunis, ao sul.

O Exército israelense afirmou ter vasculhado “infraestrutura terrorista” na área e detido supostos “terroristas”.



Hala disse à AFP que os soldados pediram aos moradores por alto-falante que deixassem suas casas, mas antes que ela e sua família pudessem fazê-lo, “a casa começou a desabar sobre nós”, destruída por um trator.

Inicialmente, o Exército israelense não respondeu nesta quarta-feira a um pedido de comentário sobre os acontecimentos.

“Os atiradores dispararam contra todos na família, exceto minha irmã e eu”, acrescentou.

Palestinos caminham por escombros em Khan Younis, no sul de Gaza, após bombardeio israelense — Foto: AFP

“Minha irmã Basant me disse ‘estou com medo, me salve. Não consigo me mexer. Tenho escombros sobre meus pés e meu pai está sobre minha perna, não consigo me mover'”.

Depois Basant caiu e Hala ficou sozinha, esperando por horas antes de ser resgatada. Basant, de 19 anos, foi uma das seis mortas.

A guerra em Gaza começou com o ataque do movimento islamista Hamas em 7 de outubro, que deixou cerca de 1.160 mortos em Israel, principalmente civis.

Um jornalista da AFP gravou quando Mohammed al Sabbagh dava palavras de encorajamento à sua sobrinha pelo telefone.

“Fique a salvo e mantenha-se forte. Se houver algo ao seu redor, coma para se manter firme até que cheguemos até você”, disse.

“Eu juro por Deus, não sabemos como te alcançar [mas] estamos tentando te alcançar. Não se preocupe, vamos chegar.”

Mas a resposta de Hala foi desanimadora: “Meu pai está coberto de sangue. Ele estava respirando, mas não mais”, contou.

Nesta quarta-feira (6), Hala relatou o resgate à AFP de uma cama de hospital na cidade de Rafah, no sul.

“Começaram a remover os escombros e a cortar as barras de aço até me tirarem. Quando me tiraram, me colocaram em uma maca”, lembrou.

Embora não tenha sofrido ferimentos graves, ela tentava se recuperar fisicamente após tanto tempo sem comida nem água, ao mesmo tempo em que lidava com o trauma e a perda que sofreu.

“Sobrevivi, mas quero ver minha família pela última vez”, expressou.

“Vi minha irmã e meu pai, mas eles não foram retirados. Ainda estão sob os escombros. Quero vê-los pelo menos para me despedir”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

apos-ameaca-de-guerra-nuclear-‘capaz-de-destruir-a-civilizacao’,-russia-convoca-embaixadora-dos-eua

G1 Mundo

Após ameaça de guerra nuclear ‘capaz de destruir a civilização’, Rússia convoca embaixadora dos EUA

A Rússia convocou nesta quinta-feira (7) a embaixadora dos Estados Unidos em Moscou, Lynne Tracy, para acusar os EUA de "ações subversivas" e interferência em "assuntos internos". O Kremlin ameaçou ainda expulsar o corpo diplomático norte-americano do país. Nesta quinta, representantes do Ministério das Relações Exteriores disseram à embaixadora norte-americana que ONGs e diplomatas dos EUA vêm interferindo no que o Kremlin chama de "assuntos internos" russos, incluindo a guerra […]

today7 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%