G1 Santos

Adolescente volta para casa após ser dada como desaparecida e enviar mensagens estranhas ao pai

today26 de julho de 2023 8

share close

A adolescente Kamylla Kemylle da Silva, de 14 anos, voltou para casa após ser dada como desaparecida em Santos, no litoral de São Paulo. Conforme apurado pelo g1 junto à Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), nesta quarta-feira (26), a jovem estava na casa do namorado. Ela alegou à Polícia Civil ter fugido porque os pais não aceitavam o relacionamento.

A menina desapareceu no último dia 30 de junho, após sair da casa onde mora com o pai, Ataide Adriano da Rocha Silva, em Santos, enquanto ele trabalhava.

O homem informou ao g1 que, neste meio-tempo, desconfiou de mensagens supostamente enviadas pela filha, uma vez que foram escritas com palavras que a menina não costuma usar, como “papis” para se referir a ele.



Segundo a SSP-SP, Kamylla voltou para a casa do pai no último dia 8 de julho, após ter dito que fugiu porque os pais não aceitavam o relacionamento dela com o namorado. A Polícia Civil encerrou as investigações desde então.

O g1 solicitou à SSP-SP mais informações sobre o namorado de Kamylla e a cidade onde ele mora, local em que a jovem afirmou ter se escondido durante o período, mas não recebeu uma resposta. Nas mensagens supostamente enviadas por ela ao pai, a menina disse que estava em Cubatão (SP), cidade vizinha à Santos.

A reportagem procurou novamente Ataide, pai de Kamylla, para mais detalhes sobre a volta da jovem para casa, mas o homem afirmou apenas que “tudo estava bem” e que não quer mais falar sobre o assunto.

Ataide disse ter recebido uma sequência de mensagens, que supostamente teriam sido enviadas pela própria filha, dizendo que estava bem, em Cubatão (SP), e retornaria dia 24, um dia antes de uma viagem que estava marcada com a família. No entanto, o pai desconfiou que o recado não tenha sido enviado por Kamylla devido à forma de escrita.

“Ela nunca me chama de ‘papis’, me chama de pai. […] Estou muito preocupado, desesperado”, disse Ataide Adriano da Rocha Silva, de 34 anos, em entrevista ao g1.

Ele chegou a dizer que acreditava que a filha não estava cercada por boas pessoas, logo após o desaparecimento da menina. “Está com gente ruim, porque ninguém acolhe uma adolescente de 14 anos sem saber quem são os pais”, comentou, na ocasião.

O pai cria a menina desde os cinco anos. Ele morava no Nordeste e se mudou para o litoral paulista com ela quando se separou da mãe da adolescente. No entanto, o homem garante que, apesar da distância, a relação com a ex-mulher é boa.

Ele contou à polícia que já está com passagem aérea comprada para ir à Recife (PE) junto com Kamylla no dia 25 de julho, pois ela irá morar com a mãe. Segundo Ataide, este foi um pedido da própria adolescente. Ele, inclusive, diz ter comprado roupas para a jovem usar na viagem.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Santos

Mexilhões expostos à cocaína no mar sofrem alteração no DNA no litoral de SP, diz estudo

Os moluscos foram estudados como tese de doutorado da pesquisadora Mayana Karoline Fontes, que diz ter usado aproximadamente 165 mexilhões para as análises. A metade foi coletada no mar, nas áreas citadas acima, e apresentaram grande concentração da droga. A outra parte veio de um cultivo e, portanto, era considerada saudável. Estes moluscos foram expostos à cocaína para avaliar o impacto no organismo. A gente viu alteração no DNA. A cocaína causou alterações no DNA dos mexilhões. — Mayana Karoline […]

today26 de julho de 2023 14

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%