G1 Mundo

Alta temperatura do oceano provoca desastre ambiental no sul da Flórida

today29 de julho de 2023 6

share close

Funcionários de organizações locais navegaram diariamente nas últimas duas semanas até os viveiros que instalaram no mar. O objetivo é coletar amostras de cada espécie de coral antes que seja tarde demais.

A finalidade da força-tarefa é mantê-los a salvo em diversos laboratórios da região, onde serão conservados em tanques com água salgada na temperatura ideal para eles.

Esses seres vivos sobrevivem entre as temperaturas de 21 e 28,8 ºC, explicou o coordenador de tecnologia da ONG Coral Restoration Fundation, Alex Neufeld.



Mas se o mar está quente demais, os corais expulsam as zooxantelas — algas que vivem em seus tecidos e fonte de alimentação, energia e coloração.

Os corais ficam brancos quando isso acontece, um sinal de que correm risco de vida caso a condição do ambiente não mude.

As temperaturas da água no estreito da Flórida ultrapassaram os 32 ºC há dias. A baía Manatee bateu seu recorde na última segunda-feira (24), marcando 38,38 ºC.

“A água morna não é boa para nenhum organismo marinho, sejam corais, peixes, lagostas”, diz Neufeld. “Portanto, corremos o risco de ver mortes em massa de peixes, tartarugas marinhas” e outras espécies.

A magnitude do branqueamento dos corais e o fato de ter ocorrido tão cedo, com grande parte do verão ainda por vir, são as maiores preocupações dos cientistas.

O recife da Flórida, um dos maiores do mundo, se estende por cerca de 580 quilômetros das Ilhas Dry Tortugas — 110 quilômetros a oeste de Keys — até St. Lucie Inlet, a quase 200 quilômetros ao norte de Miami.

Seu papel no meio ambiente é fundamental. Além de ser o habitat de diversos animais marinhos, constitui uma das principais barreiras de proteção contra furacões e ressacas.

Brian Branigan, um capitão de 65 anos e dono de uma empresa de aluguel de barcos em Big Pine Key, uma região do arquipélago, é uma testemunha da degradação diária dessa barreira de recifes.

“O que aconteceu nas últimas duas semanas é terrível, chocante. Eu queria chorar enquanto estava na água, mergulhando”, diz ele, enquanto pilota uma lancha para o recife Looe Key, a cerca de 10 km da costa.

Ali, a poucos metros da superfície do mar, nadam barracudas, peixes-papagaio e peixes-cirurgião no local do desastre. Ao lado, os normalmente coloridos corais do recife são agora uma enorme mancha branca.

Negócios como o dele, que levam turistas para pescar ou mergulhar, dependem muito da sobrevivência dos recifes de corais.

“Estamos preocupados com o impacto pessoal e financeiro. Tenho certeza de que isso terá alguma consequência negativa, até mesmo catastrófica”, lamenta Branigan.

De acordo com o Escritório Nacional de Gerenciamento Oceânico e Atmosférico, os recifes de corais da Flórida geram US$ 2 bilhões (R$ 9,4 bilhões) em receita local e 70.400 empregos, em período integral ou meio período.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

Putin corteja líderes africanos em cúpula na Rússia com promessas de expansão do comércio e estreitamento de laços

O evento marca um esforço renovado do Kremlin em fortalecer os laços com um continente de 1,3 bilhão de pessoas que é cada vez mais assertivo no cenário global, informou a Associated Press. As 54 nações da África formam o maior bloco eleitoral nas Nações Unidas e estão mais divididas do que qualquer outra região nas resoluções da Assembleia Geral que criticam as ações da Rússia na Ucrânia. Suprimento de grãos aos africanos Em seu discurso, Putin reafirmou sua promessa […]

today29 de julho de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%