Pleno News

Amor sem a verdade não é amor

today3 de janeiro de 2023 12

Fundo
share close

Renato Vargens
03/01/2023 11h09

Kleber Lucas, Clovis Pinho e Leonardo Gonçalves

Ultimamente tenho visto inúmeras manifestações de pastores dizendo que Deus é amor, o que não deixa de ser verdade. Contudo, apesar dessa afirmação ser bíblica, isso não concede o direito aos que creem nessa premissa a legitimação, a relativização e a defesa do pecado.

Lamentavelmente, em nome do “amor”, alguns crentes têm arreganhado a porta estreita do Evangelho participando de cultos ecumênicos, bem como de atividades musicais em palcos esquerdistas, como, na posse de Lula.

Ora, bem sei que a Igreja de Cristo foi chamada a amar e não a odiar; a acolher e não a apedrejar; a perdoar e não a ofender; contudo, aqueles que anunciam o amor sem proclamar a verdade do Evangelho cometem um grave erro em sua proclamação. Até porque, as boas-novas de Cristo são precedidas pela notícia de que os homens, em virtude de seus delitos e pecados, estão condenados à morte eterna e que a única maneira de serem salvos, é arrependendo-se de suas transgressões confessando a Cristo como seu único e exclusivo Salvador.

Caro leitor, por favor, pare e pense: como é possível amar aos perdidos sem lhes pregar a verdade? Como alguém pode subir a um palco onde o pecado é defendido, sem contudo, confrontá-lo com a verdade?



JESUS CRISTO, a expressão máxima do AMOR, é, antes de tudo, A VERDADE (João 14:6). E ainda que Ele demonstrasse amor e compaixão pelos pecadores, jamais lhes deixou de anunciar a verdade.

O problema é que em um mundo politicamente correto onde o importante é estar bem com todos, alguns pastores têm aberto mão da verdade em detrimento da unidade religiosa. Nessa perspectiva, unem-se aos homens ministrando-lhes “amor”, mas excluindo destes a verdade inexequível de que fora de Cristo não há salvação (Atos 4:12).

Prezado amigo, a História nos mostra que quem sacrifica a verdade em detrimento do amor, comete o pecado do ecumenismo. E, geralmente, o ecumenismo está fundamentado na nefasta doutrina do universalismo.

Para os ecumenistas, os adeptos das mais diferentes religiões e matizes também poderão experimentar o livramento da condenação eterna, desde que, por exemplo, sejam pessoas de bem ou caridosas. Até porque, Deus é a personificação do amor e, como ser amoroso que é, jamais condenará alguém por seus pecados.

Sim, Deus é amor; no entanto, Ele também é justo e governa soberanamente sobre tudo e todos. Nosso Senhor estabeleceu que os homens estão perdidos e que a salvação se dá exclusivamente por Cristo. Se assim não fosse, por que então evangelizarmos? Por que fazermos missões? Por que obedecer às ordens da grande comissão? Ora, por favor, pare e pense comigo: se o homem será salvo sem os méritos da Cruz, por que razão Deus enviou seu filho para morrer por nós?

Quero ressaltar que acredito que o Senhor nos chamou a amar. Discordar dessa premissa seria loucura. Todavia, isso não significa dizer que devemos omitir a verdade aos que se perdem.

Isto posto, amemos, mas, preguemos exclusivamente Cristo, ainda que com isso, não tenhamos a simpatia daqueles que nos ouvem; mesmo porque, amor sem a verdade, não é amor e sim um ídolo cuja confissão de fé é espúria, falsa e destruidora. Aliás, como dizia o notável C.S. Lewis o amor torna-se um demônio no momento em que se torna um deus.

Nele que é a única e absoluta verdade!

Soli Deo Gloria!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 32 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É membro dos conselhos do TGC Brasil e IBDR.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Siga-nos nas nossas redes!

O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Pleno News.

Por: Renato Vargens

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

rabino-chefe-critica-apoio-de-ortodoxos-a-orador-gay-no-knesset

Gospel Prime

Rabino-chefe critica apoio de ortodoxos a orador gay no Knesset

No domingo (1), o rabino-chefe sefardita de Jerusalém, Shlomo Amar, apontou que era “insuportável” que um homem abertamente gay, o legislador do Likud Amir Ohana, fosse nomeado presidente do Knesset e criticou duramente os parlamentares religiosos que apoiaram sua nomeação. “Essa coisa toda com as abominações, hoje elas são glorificadas. Por vergonha. Uma desonra dessas. Ai dos ouvidos que ouvem tais coisas. É insuportável. Eles os nomeiam para papéis que […]

today3 de janeiro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%