G1 Mundo

Após vitória de separatistas em Taiwan, Brasil reitera posicionamento de ‘uma só China’

today19 de janeiro de 2024 4

Fundo
share close

Segundo Vieira, o governo brasileiro reitera o apoio “histórico, consistente e inequívoco” do Brasil à China unificada. Sem mencionar o nome da província, a posição foi defendida ao lado chanceler chinês, Wang Yi, que cumpre agenda em Brasília nesta sexta.

“Recordamos o apoio histórico, consistente e inequívoco do Brasil ao princípio de uma só China, conforme registro na declaração conjunta adotada pelos dois presidentes Lula e Xi Jinping na visita presidencial à China em 14 de abril de 2023”, disse o ministro.

O representante chinês, Wang Yi, afirmou que o país “demonstra apreço” ao apoio do Brasil ao princípio.



O governo chinês classifica Taiwan como uma província rebelde, que segue fazendo parte de seu território. O governo de Taiwan proclama a ilha como um estado independente, gerido por uma Constituição própria, e por décadas foi considerada o próprio governo chinês, no exílio.

A defesa da unificação chinesa já havia sido feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em abril de 2023. Durante viagem a Pequim, o petista assinou uma declaração conjunta com o presidente chinês, Xi Jinping, na qual diz reconhecer que “Taiwan é uma parte inseparável do território chinês”.

“A parte brasileira reiterou que adere firmemente ao princípio de uma só China, e que o governo da República Popular da China é o único governo legal que representa toda a China, enquanto Taiwan é uma parte inseparável do território chinês. Ao reafirmar o princípio da integridade territorial dos estados, apoiou o desenvolvimento pacífico das relações entre os dois lados do Estreito de Taiwan. A parte chinesa manifestou o grande apreço a esse respeito”, diz o documento.

Vice-presidente da ilha, o médico Lai Ching-te venceu a eleição presidencial de Taiwan no último sábado (13). Em seu primeiro pronunciamento, disse estar determinado a “proteger Taiwan das ameaças e intimidação da China”.

Ele também afirmou que “o povo de Taiwan resistiu com sucesso aos esforços de forças externas que queriam influenciar as eleições” e que usará o diálogo no lugar do confronto e que está disposto a conversar com a China “com base na dignidade e na paridade”.

No período que antecedeu as eleições, a China denunciou repetidamente Lai como um separatista perigoso e rejeitou os seus apelos por diálogo. O Ministério de Defesa chinês afirmou nesta sexta-feira (12), um dia antes da eleição, que o Exército está em alerta e vai tomar todas as ações necessárias para “esmagar” qualquer plano de independência de Taiwan.

Os chanceleres também confirmaram a vinda de Xi Jinping para cúpula do G20, que ocorrerá entre os dias 18 e 19 novembro, no Rio de Janeiro.

Além do compromisso com Mauro Vieira, Wang Yi deve se encontrar com o presidente Lula na tarde desta sexta, em Fortaleza. O chanceler chinês chegou a Brasília na quinta-feira (18) e foi recebido com um jantar oferecido por Mauro Vieira.

Desde 2009 a China é o maior parceiro comercial do Brasil. No ano passado as relações comerciais entre Brasil e China atingiu o recorde de RS$ 157,5 bilhões, o que gerou um superávit brasileiro de US$ 51,1 bilhões. Apenas o comércio com a China foi responsável por 52% do superávit comercial do país.

Em agosto desde ano, Brasil e China completam 50 anos de relações diplomáticas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

argentina-deporta-mulher-e-filhos-de-traficante-fito,-estopim-de-conflito-armado-e-onda-de-violencia-no-equador

G1 Mundo

Argentina deporta mulher e filhos de traficante Fito, estopim de conflito armado e onda de violência no Equador

Os familiares de Fito, líder da facção Los Choneros, cuja fuga desencadeou uma onda de violência no Equador, foram presos em um condomínio da província de Córdoba, disse a ministra da Segurança argentina, Patricia Bullrich, em entrevista coletiva. Mariela Peñarieta, de 48 anos, a mulher de Fito, Michelle Macías Peñarieta, de 21 anos, Ilse María Macías Peñarieta , de 12 anos e Lian Sejam Macías Peñarieta, de 4 anos, filhos […]

today19 de janeiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%