G1 Mundo

Ataque que deixou 45 mortos no campo de refugiados de Rafah foi um ‘erro trágico’, diz Netanyahu

today27 de maio de 2024 19

Fundo
share close

Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, cerca de 45 pessoas morreram durante o ataque, na noite de domingo (26). Há relatos de mulheres, crianças e idosos entre as vítimas, muitas delas carbonizadas. Israel admitiu que pode ter havido um incêndio no acampamento em decorrência do bombardeio. Houve forte reação internacional.

Em um discurso ao Parlamento, Netanyahu afirmou que, “apesar dos nossos máximos esforços para não ferir civis inocentes, na noite passada, houve um erro trágico. Nós estamos investigando o incidente e vamos obter uma conclusão, pois essa é a nossa postura”.

A área atingida era um acampamento para onde parte da população de Rafah havia acabado de se mudar por conta do início da ofensiva de Israel na cidade, para onde cerca de 1,5 milhão de palestinos fugiram por ataque de Israel no resto do território palestino.



Martin Griffiths, chefe do Escritório para Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha) da ONU, criticou o ataque de Israel:

“Outra atualização sombria de Gaza. O ataque aéreo de Israel em Rafah na noite passada matou dezenas de pessoas, muitas delas mulheres e crianças queimadas vivas (…) Tamanha impunidade não pode continuar”, escreveu na rede social X (ex-Twitter).

Ministros das Relações Exteriores de países europeus se reunirão para cobrar de Israel o cumprimento aos direitos humanos.

Ataque de Israel em Rafah deixa mortos e feridos neste domingo (26) — Foto: Reuters

O ataque também deixou dezenas de feridos. Tendas de ajuda humanitária no local pegaram fogo após as explosões.

Inicialmente, Israel afirmou que o alvo do ataque aéreo era um complexo do Hamas em Rafah e que os locais atingidos “eram legítimos sob as leis internacionais”. Dois líderes do grupo terrorista foram mortos na operação, de acordo com o Exército do país.

Israel também disse que uma investigação inicial mostrou que as vítimas foram mortas por incêndios causados pelo bombardeio. O porta-voz do governo, Avi Hyman, afirmou que uma investigação maior sobre o caso está sendo feita.

Palestinos observam destroços de acampamento após bombardeio israelense em Rafah — Foto: Jehad Alshrafi/AP Photo

O Exército israelense informou que está ciente sobre os civis feridos em decorrência do ataque e que analisa o caso.

O governo israelense afirmou ainda que os alvos foram “definidos com base em informações precisas”, que indicavam que a área era usada pelo grupo terrorista.

Os Estados Unidos pediram novamente nesta segunda que Israel tome mais cuidado para proteger os civis, mas não chegaram a pedir a interrupção da incursão em Rafah. Os EUA são os maiores aliados de Israel.

A organização de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras publicou mensagem informando que ao menos 15 mortos em decorrência do ataque foram levadas para um ponto de apoio da organização e que pede por um cessar-fogo imediato em Gaza.

A corte também determinou que o governo israelense permitisse a entrada de ajuda humanitária pela fronteira entre o sul de Gaza e o Egito, além de garantir o acesso de observadores externos para monitorar a situação.

Em resposta à ordem da Corte Internacional, o governo de Israel disse que alegações apresentadas são “falsas, ultrajantes e nojentas” e que a campanha militar “não levou e não vai levar à destruição da população palestina civil em Rafah”.

Fumaça e fogo são vistos em Gaza neste domingo (26), após ataques aéreos de Israel na região — Foto: Amir Cohen/Reuters

O Hamas, em comunicado, disse que o plano do tribunal de enviar representantes à Faixa de Gaza é bem-vindo e prometeu cooperar.

O Egito se recusa a coordenar a entrega de ajuda humanitária por Rafah enquanto o lado palestino for controlado pelas tropas de Israel.

Toda a ajuda procedente do Egito é inspecionada pelas autoridades israelenses e distribuída com a coordenação da ONU.

Ainda neste domingo, o grupo terrorista Hamas lançou foguetes contra Tel Aviv, em Israel, fazendo com que as sirenes de alerta fossem acionadas pela primeira vez em quatro meses. As forças militares israelenses afirmam que, no sul de Gaza, na região de Rafah, pelo menos oito foguetes foram disparados e vários foram interceptados.

Criança fica ferida após ataque de Israel em Rafah, ao sul de Gaza, neste domingo (26) — Foto: Reuters

Israel ignora ordem de tribunal da ONU e ataca Rafah

Israel ignora ordem de tribunal da ONU e ataca Rafah




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

video:-coreia-do-norte-lanca-projetil-em-direcao-ao-japao,-que-ordena-retirada-de-populacao-do-sul

G1 Mundo

VÍDEO: Coreia do Norte lança projétil em direção ao Japão, que ordena retirada de população do sul

Através de seu sistema de transmissão, autoridades japonesas informaram, por alto-falante, que a Coreia do Norte "parecia ter disparado um míssil", e que, por isso, moradores da província de Okinawa, no sul, deveriam buscar abrigo. A emissora pública japonesa NHK publicou um vídeo do que parecia ser um ponto laranja voando no céu e depois explodindo em chamas em uma área próxima à fronteira entre a China e a Coreia […]

today27 de maio de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%