G1 Mundo

Áustria: entra em vigor lei que autoriza 11 mil condenados por homossexualidade a pedir indenização

today1 de fevereiro de 2024 9

share close

As indenizações podem chegar a até € 3 mil (cerca de R$ 16 mil), além de um pedido de desculpas da República da Áustria.


Parada do Orgulho de 2016 em Viena, na Áustria — Foto: HANS PUNZ / APA / AFP



Uma lei que entrou em vigor na Áustria nesta quinta-feira (1º) permitirá que milhares de pessoas condenadas por homossexualidade sejam reabilitadas e indenizadas. Embora a homossexualidade tenha sido descriminalizada no país em 1971, exceções legais discriminatórias continuaram a existir até os anos 2000, levando à condenação de milhares de austríacos.

Em 1999, Michael Woditschka, de 19 anos, teve um breve caso com um rapaz de 17. Algum tempo depois, para sua surpresa, ele recebeu uma intimação da polícia. Foi durante seu interrogatório, que descreve como humilhante, que descobriu que a idade de consentimento era de 18 anos para relações sexuais entre homens.

Esse era o caso na Áustria até 2002, embora a idade fosse fixada em 14 anos para relações heterossexuais. Michael Woditschka foi, portanto, multado. Vinte e cinco anos depois, o sentimento de injustiça permanece. 

“Fui levado a uma instituição estatal não por ter cometido um assassinato, mas por ter tentado amar, viver”, conta ele. “E o pior é que todo mundo sabia. Se eu tivesse me candidatado a um emprego e me pedissem um extrato de minha ficha criminal, teriam lido que eu havia praticado fornicação com um menor, e eu não teria conseguido o emprego. Tive sorte de isso não ter acontecido, mas muitas pessoas passaram por isso. Elas foram estigmatizadas, marcadas e muitas foram para a prisão”, detalha Michel.

Indenização de até €3 mil

Ele agora pode pedir uma indenização de até € 3 mil (cerca de R$ 16 mil). Mas o mais importante para ele é o pedido de desculpas da República da Áustria.

“É bom que um ministro da Justiça esteja dizendo hoje: ‘Sentimos muito e é importante para nós, como governo, que os homossexuais sejam tratados com igualdade, inclusive pelo Estado’. Isso é ainda mais importante porque há algumas pessoas que gostariam de voltar no tempo”, diz.

Atualmente, 11 mil pessoas estão qualificadas para serem indenizadas. 




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

eua-vao-sancionar-colonos-judeus-que-agredirem-palestinos-na-cisjordania

G1 Mundo

EUA vão sancionar colonos judeus que agredirem palestinos na Cisjordânia

O presidente Joe Biden, dos Estados Unidos, deu uma ordem executiva nesta quinta-feira (1º) para punir colonos judeus que atacarem palestinos na Cisjordânia, um território palestino que tem sido invadido há anos. A ordem executiva cria um sistema para impor sanções financeiras e restrições de vistos contra pessoas que atacarem ou intimidarem palestinos ou tomarem propriedades dos moradores do local, de acordo com dirigentes de governo dos EUA. Em dezembro, […]

today1 de fevereiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%