G1 Santos

Ave exótica escapa de família no litoral de SP: ‘parece um pesadelo’; VÍDEO

today11 de setembro de 2023 19

Fundo
share close

Uma ave exótica da espécie periquito-de-colar (Psittacula krameri), conhecida como Ring Neck [pescoço de anel, em português] fugiu de uma família em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Ao g1, nesta segunda-feira (11) a comerciante e tutora Patricia Tratali, de 51 anos, contou que a Sol tem quase dois anos e está desaparecida há mais de 20 dias após fazer um buraco na tela de proteção do apartamento.

“A casa deixou de ter barulho. Ela preenchia [o espaço], a gente dava muita risada e era muito feliz com a presença dela aqui. Ficamos muito tristes, parece um pesadelo. Eu sonho com ela”, afirmou Patricia.

Segundo o ornitólogo Bruno Lima, que estuda as aves, todas as espécies que não pertencem originalmente a fauna brasileira são consideradas exóticas. Ele disse que o pássaro é original da Ásia e da África, mas se estabeleceu no Brasil após fugir de cativeiros. (Entenda mais sobre a ave abaixo).



Sol é da espécie periquito-de-colar e fugiu após fazer um buraco na tela de proteção do apartamento, em Praia Grande (SP) — Foto: Arquivo Pessoal

Sol fugiu no dia 21 de agosto, no bairro Canto do Forte. No mesmo dia, Patricia e o marido viram a ave em uma árvore. “Ela me viu, me chamou de mãe, mandou beijo e tudo. Em casa, chamava ela pelo nome e ela vinha, mas na rua é diferente. Ela até tentou fazer o voo para descer [da árvore] só que não conseguiu e foi para uma rua que eu não consegui localizar mais“.

Desde então, a família fez uma campanha nas redes sociais, distribuiu mais de mil panfletos e realizaram buscas constantes na cidade. À reportagem, Patricia afirmou que não desistirá de encontrar Sol. “Estamos arrasados porque é um membro da família”.

A ave é amarela, tem um ‘colar’ vermelho no pescoço e está com uma anilha, documento de identificação colocada na pata. Possíveis informações sobre Sol podem ser compartilhadas com o g1 Santos pelo WhatsApp (13) 99642-8654.

Família de Praia Grande (SP) disse estar muito triste após ave exótica de estimação fugir — Foto: Arquivo Pessoal

O ornitólogo Bruno Lima explicou que a espécie é adaptável. “Para a dona, pode ser um alívio saber que ela pode estar viva por conta dessa adaptabilidade”, afirmou.

No entanto, o especialista disse que uma espécie exótica pode ser um perigo, já que ela pode expulsar e trazer doenças às aves nativas e para população.

“Toda ave é portadora de doenças […], como psitacose [doença causada por bactérias encontradas principalmente em aves, mas pode ocorrer em pessoas]. O perigo principal é quando eles fogem e formam populações”, finalizou.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

receita-e-policia-federal-prendem-tripulante-com-405-kg-de-cocaina-em-navio-no-porto-de-santos

G1 Santos

Receita e Polícia Federal prendem tripulante com 405 kg de cocaína em navio no Porto de Santos

A Polícia e a Receita Federal apreenderam 405 quilos de cocaína em uma embarcação que estava atracada no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, e que tinha como destino a Argentina. Um tripulante filipino foi preso por tráfico internacional de drogas. Os entorpecentes só foram encontrados após uma atitude suspeita ter sido registrada por câmeras de segurança e mobilizado os agentes federais. O sistema de monitoramento flagrou o […]

today11 de setembro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%