G1 Santos

Banco é condenado a indenizar hotel que teve cartão de crédito clonado no litoral de SP

today15 de dezembro de 2023 2

Fundo
share close

O proprietário do Ferraretto Hotel, localizado no Centro de Guarujá, notou no extrato compras superiores a R$ 41 mil, nos dias 8 e 12 de setembro de 2022. Houve sete compras de valor entre R$ 80 e R$ 14,9 mil, sendo algumas em lojas de celulares.

Contestado sobre a cobrança, o banco alegou que as compras eram devidas. O hotel, então, ingressou com uma ação civil. Em maio deste ano, o juiz Gustavo Gonçalves Alvarez, da 3ª Vara Cível da Comarca de Guarujá, avaliou que houve falha na prestação do serviço e condenou o banco. A instituição financeira atribuiu a culpa ao hotel e defendeu que não houve falha.

O advogado Marcelo Garcia, que representa o Hotel Ferraretto, entrou com um pedido de liminar para suspender a cobrança dos R$ 41 mil. Ele contou ao g1 que o estabelecimento não pagou o valor no mês de vencimento da fatura, mas precisou custear encargos e juros superiores a R$ 100 mil que o banco não retirou após o golpe. Segundo relatou, a clonagem foi um caso isolado.



“O juiz deu a multa de R$ 100 por dia, limitando a R$ 20 mil. Porém, até hoje essa multa não foi cumprida […] O hotel sempre vem pagando a mais no cartão, porque por mais que não tenham cobrado esses R$ 40 mil e poucos, no mês de vencimento da fatura o hotel pagou o mínimo, o que era devido. Essa diferença, do mês subsequente, gerou multas e juros”.

O advogado entrou com uma petição para majorar a multa já que, segundo ele, a decisão da liminar não foi cumprida pelo Bradesco. O juiz deferiu a petição, nesta sexta-feira (15), e aumentou a multa por cada cobrança indevida de R$ 100 para R$ 1 mil. Ele manteve a punição inicial de R$ 100 caso o banco inscreva o nome das vítimas nos órgãos de proteção ao crédito.

Falha na prestação de serviço

Para o juiz Gustavo Golçalves Alvarez, o caso pode ser enquadrado na “teoria do risco profissional”, que deriva do princípio de que quem obtém lucros com algo deve suportar os ônus correspondentes.

“Seja porque o sistema de segurança foi implantado pela empresa ré, que tem o dever de mantê-lo atualizado, seja porque não se mostrou nem se demonstrou que a requerente foi decisivamente a autora ou partícipe da fraude, é inegável que a falha da prestação do serviço deve ser imputada à ré”, justificou o magistrado, na sentença.

O Bradesco recorreu da decisão em primeira instância. O caso foi enviado à 16ª Câmara de Direito Privado. Segundo a movimentação do processo, um julgamento virtual – no qual o relator e os demais magistrados votam digitalmente sem argumentação presencial – , teve início na última terça-feira. Ainda não foi divulgado se a condenação foi mantida.

Apesar de todo o sistema de segurança que as instituições financeiras dispõem, o advogado Marcelo Ribeiro avalia que os golpes em cartões de crédito se tornam cada vez mais recorrentes e de fácil execução para os criminosos.

“É sempre usar o cartão de forma bem controlada. É bom também alterar a senha eventualmente de uma forma ou outra e tomar cuidado com as compras dentro da rede social, em sites”, recomendou.

Ele avaliou que o responsável por dar um suporte de segurança robusto ao cliente é o banco. Isso porque, por mais que o consumidor tome todos cuidados, está sujeito a golpes caso não haja um esquema de segurança efetivo.

O g1 entrou em contato com o Banco Bradesco, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

guaruja-cobra-demandas-para-mobilidade-urbana-no-ministerio-das-cidades

Prefeitura de Guarujá

Guarujá cobra demandas para mobilidade urbana no Ministério das Cidades

Reunião discutiu diretrizes já traçadas e definidas pelo Município; Prefeitura tem buscado recursos com os Governos Federal e Estadual A mobilidade urbana tem sido um dos principais pilares do planejamento de Guarujá. Nesta quarta-feira (13), o prefeito esteve em Brasília para uma reunião com o diretor de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, André Almeida de Morais, no Ministério das Cidades. O objetivo foi reforçar a realização de demandas para o desenvolvimento […]

today15 de dezembro de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%