G1 Mundo

Brasil e mais 142 membros da ONU reconhecem Estado Palestino; veja lista

today23 de maio de 2024 9

Fundo
share close

Com isso, Espanha, Noruega e Irlanda se unirão a uma lista de outros cerca de 142 países e um território, todos membros da ONU, que atualmente reconhecem a Palestina como um Estado independente (veja abaixo a lista completa).

Muitos deles fazem parte da Liga dos Estados Árabes e do Movimento dos Países Não Alinhados, mas também há países ocidentais nessa lista, entre eles o Brasil.

Na Europa Ocidental, apenas a Suécia e a Islândia integravam a lista antes do anúncio desta terça — o governo sueco havia sido inclusive o único membro da União Europeia a declarar reconhecimento ao Estado palestino.



Já os Estados Unidos e aliados, como Japão, Reino Unido, Austrália e Canadá, não fazem parte da lista.

Apesar de defender a solução de dois Estados no Oriente Médio — o Palestino e o de Israel –, o governo norte-americano também mantém a posição de que essa questão deve ser resolvida apenas entre as partes envolvidas.

Nenhum dos integrantes do G7, grupo dos países mais industrializados do mundo (EUA, Canadá, França, Alemanha, Inglaterra, Itália e Japão), reconhecem o Estado da Palestina.

Espanha, Irlanda e Noruega reconhecem o Estado da Palestina

Espanha, Irlanda e Noruega reconhecem o Estado da Palestina

Até agora, a Organização das Nações Unidas (ONU) não reconhece plenamente a existência do Estado palestino. A Palestina tem o status de “Estado Observador Permanente” desde 2012, o que significa que o direito a participar dos debates e procedimentos da organização, mas não das votações.

Em 2011, a Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu formalmente à ONU que aceitasse a Palestina como Estado pleno, mas a votação ficou empacada no Conselho de Segurança, e a proposta acabou arquivada até abril deste ano, quando os palestinos enviaram uma nova solicitação à ONU, e o processo de votação foi reaberto.

Na votação seguinte, no entanto, que ocorreu na Assembleia Geral, a proposta foi aprovada e voltou para o Conselho de Segurança, onde os EUA devem novamente vetá-la.

Veja, abaixo, a lista de quem reconhece a Palestina como Estado:

  • Brasil;
  • Argentina;
  • Uruguai;
  • Paraguai;
  • Chile;
  • Venezuela;
  • Colômbia;
  • Bolívia;
  • Peru;
  • Equador;
  • Guiana;
  • Suriname;
  • Costa Rica;
  • Nicarágua;
  • Honduras;
  • El Salvador;
  • Guatemala;
  • Cuba;
  • República Dominicana;
  • Haiti;

  • Granada;
  • Antígua e Barbuda;
  • Dominica;
  • Santa Lúcia;
  • Belize;
  • São Vicente e Granadina;
  • São Cristóvão e Neves;

  • Suécia;
  • Islândia;
  • Vaticano;
  • República Checa;
  • Polônia;
  • Eslováquia;
  • Hungria;
  • Croácia;
  • Macedônia do Norte;
  • Bósnia e Herzegovina;
  • Albânia;
  • Bulgária;
  • Sérvia;
  • Montenegro;
  • Romênia;
  • Belarus;
  • Ucrânia;
  • Chipre;
  • Malta.

  • Rússia;
  • Georgia
  • Azerbaijão;
  • Cazaquistão;
  • Tadjiquistão;
  • Paquistão;
  • Afeganistão;
  • Turcomenistão;
  • Uzbequistão;
  • Quirguistão;
  • Turquia;
  • Mongólia;
  • China;
  • Coréia do Norte;
  • Tailândia;
  • Indonésia;
  • Malásia;
  • Brunei;
  • Filipinas;
  • Timor Leste;
  • Papua Nova Guiné;
  • Vietnã;
  • Camboja;
  • Nepal;
  • Bangladesh;
  • Índia;
  • Sri Lanka;
  • Butão;
  • Laos;
  • Maldivas

  • Irã;
  • Arábia Saudita;
  • Emirados Árabes Unidos;
  • Omã;
  • Iêmen;
  • Jordânia;
  • Síria;
  • Iraque;
  • Líbano;
  • Catar;
  • Kuwait;
  • Bahrein.

  • Egito;
  • Líbia;
  • Argélia;
  • Tunísia;
  • Marrocos;
  • Saara Ocidental (território);
  • Sudão;
  • Sudão do Sul;
  • Etiópia;
  • Djibuti;
  • Somália;
  • Mauritânia;
  • Mali;
  • Senegal;
  • Gâmbia;
  • Burkina Faso;
  • Guiné;
  • Guiné Bissau;
  • Serra Leoa;
  • Libéria;
  • Costa do Marfim;
  • Cabo Verde;
  • Gana;
  • Togo;
  • Benin;
  • Nigéria;
  • Níger;
  • Burkina Faso;
  • Chade;
  • República Centro-Africana;
  • Guiné Equatorial;
  • São Tomé e Príncipe;
  • Gabão;
  • Congo;
  • República Democrática do Congo;
  • Uganda;
  • Ruanda;
  • Burundi;
  • Quênia;
  • Tanzânia;
  • Angola;
  • Zâmbia;
  • Malaui;
  • Moçambique;
  • Eswatini;
  • Madagascar;
  • Ilhas Maurício;
  • Seychelles;
  • Comores;
  • Namíbia;
  • Botsuana;
  • Zimbábue;
  • África do Sul;
  • Lesoto.

O ministro das Relações Exteriores da Noruega, Espen Barth Eide (à esquerda), e o premiê Jonas Gahr Store falam no dia 22 de maio de 2024 sobre o reconhecimento da Palestina como Estado independente — Foto: Erik Flaaris Johansen/NTB/Reuters




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

turbulencia-severa:-o-que-e,-como-impacta-os-passageiros,-quem-costuma-se-ferir-mais-e-o-que-fazer;-saiba-mais

G1 Mundo

Turbulência severa: o que é, como impacta os passageiros, quem costuma se ferir mais e o que fazer; saiba mais

A vítima é Geoff Kitchen, um passageiro de nacionalidade britânica de 73 anos de idade que teria problemas cardíacos. Uma das possíveis causas da morte, que está sendo investigada, é ataque cardíaco. O voo SQ321 havia saído de Londres, e o evento ocorreu faltando cerca de uma hora e meia para o pouso em Singapura. O comandante declarou emergência e realizou um pouso não programado em Bangkok, na Tailândia, onde […]

today23 de maio de 2024 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%