G1 Santos

Caso Eduardo Campos: Justiça pede reabertura de inquérito sobre queda do avião que causou a morte do candidato à presidência

today18 de novembro de 2023 9

Fundo
share close

Em 2018, a Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito e apresentou quatro causas possíveis do acidente: colisão com um elemento externo, desorientação espacial, falha de profundor e falha de compensador de profundor — o equipamento é uma parte do estabilizador horizontal e é responsável pelo controle do movimento da aeronave em torno do eixo lateral.

Segundo Roberto Lemos, a reabertura do inquérito tem por objetivo revisar as análises e e confirmar que a conclusão alcançada esteja correta.

O acidente aconteceu em agosto de 2014. A aeronave com Eduardo Campos decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino à Base Aérea de Santos, em Guarujá, no litoral de São Paulo. O avião arremeteu devido ao mau tempo e, pouco tempo depois, perdeu o contato com o controle de tráfego aéreo.



A aeronave Cessna 560XL Citation Excel, prefixo PR-AFA, caiu em um terreno baldio em meio a comércios e prédios residenciais, no bairro Boqueirão, em Santos. Os destroços atingiram outras residências vizinhas. Dez pessoas tiveram ferimentos leves e precisaram ser levadas a hospitais da região, sendo liberadas em seguida.

Além de Eduardo Campos, morreram Alexandre Severo e Silva, fotógrafo; Carlos Augusto Leal Filho, assessor; Pedro Valadares Neto, assessor e ex-deputado federal; Marcelo de Oliveira Lyra, cinegrafista; e os pilotos Geraldo Magela Barbosa da Cunha e Marcos Martins.

O juiz federal Roberto Lemos já havia enviado um pedido ao MPF para o desarquivamento do processo. Em outubro deste ano, o procurador da república Thiago Lacerda Nobre foi contra a solicitação. Segundo ele, não há elementos novos que justifiquem a retomada das investigações. Foi diante da recusa que o juiz encaminhou o pedido à PGR.

Eduardo Campos e outras seis pessoas morreram em um acidente de avião, em 2014 — Foto: Walter Mello/A Tribuna de Santos/Folhapress; Caio Kenji/G1

Eduardo Campos nasceu em 10 de agosto de 1965, em Recife (PE), e morreu em agosto de 2014, aos 49 anos. Ele era neto de Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco para quem trabalhou, dando seus primeiros passos na carreira política como chefe de gabinete do avô, nos anos 1980.

Era filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) e ocupou vários cargos públicos, como deputado estadual, secretário de governo e ministro de Ciência e Tecnologia no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em 2007 foi eleito governador de Pernambuco, sendo reeleito em 2010.

Fotos inéditas mostram destroços de avião que caiu em Santos (SP) e matou Eduardo Campos, em 2014 — Foto: g1 Santos

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

justica-condena-homem-que-quebrou-braco-de-idoso-por-‘buzinar-demais’

G1 Santos

Justiça condena homem que quebrou braço de idoso por ‘buzinar demais’

O caso aconteceu em abril de 2022. Segundo apurado pelo g1, na época, a agressão foi motivada pelo fato de o idoso ter "buzinado demais" ao volante. A ação teria deixado o agressor enfurecido. Dias foi em direção ao aposentado, puxou o braço dele para fora da janela do carro e só o largou após tê-lo quebrado. As sentenças saíram nos meses de agosto e setembro. De acordo com os […]

today18 de novembro de 2023 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%