G1 Mundo

Centenas de casos de abuso infantil em arquidioceses dos EUA são revelados por relatório

today6 de abril de 2023 8

Fundo
share close

Mais de 150 clérigos católicos abusaram sexualmente de 600 crianças entre os anos de 1940 até 2002, na arquidiocese de Baltimore, nos Estados Unidos. É o que aponta um relatório divulgado nesta quarta-feira (5), que acusa a Igreja de “cumplicidade”.

Entre os 156 supostos autores estão sacerdotes, diáconos, professores e seminaristas, que cometeram “abusos repetidos”, segundo o relatório do procurador-geral do estado de Maryland. O documento detalha como eles se aproveitaram da confiança dos padres ou da comunidade para cometer os atos.

“O grande número de abusadores e vítimas, a depravação da conduta dos abusadores e a frequência dos abusos é inacreditável”, destaca o relatório, que, apesar de ser oficial, não constitui uma acusação.



A duração e o alcance “só foram possíveis graças à cumplicidade dos encarregados de dirigir a Igreja e proteger seus fiéis”, afirma o texto. Os líderes da arquidiocese “rejeitaram repetidamente os relatórios de abuso e demonstraram pouca ou nenhuma preocupação com as vítimas”, ressalta o documento, que critica a falta de investigação adequada das denúncias e de “esforço para identificar outras vítimas”.

Segundo o estudo, “abusadores conhecidos foram transferidos para outros cargos de mesma autoridade e acesso a crianças”, e o objetivo era “garantir a qualquer custo que o abuso se mantivesse em sigilo”.

O número de vítimas real “é, certamente, muito maior”, apontam as autoridades, lembrando que apenas uma pequena parte dos abusos é denunciada.

Em sua investigação, o gabinete do procurador-geral de Maryland se baseou em centenas de milhares de documentos e depoimentos de vítimas e depoimentos. A grande maioria dos envolvidos é identificada, mas muitos deles já morreram.

Após a divulgação do relatório, o arcebispo de Baltimore, William Lori, ofereceu “as mais sinceras desculpas a todas às vítimas. É difícil imaginar que atos malignos semelhantes possam ter ocorrido, mas ocorreram”, afirmou.

Lori prometeu que “este período condenável da história desta arquidiocese” não será “escondido, nem esquecido”, e afirmou que, desde 1993, são transmitidas “todas as denúncias de abuso às forças de ordem”, para que não se repitam.

O estudo é resultado de pesquisas iniciadas em 2018, como em muitos outros estados, após uma investigação feita na Pensilvânia. Este relatório revelou atos sexuais cometidos por mais de 300 “sacerdotes predadores” contra 1.000 crianças, que foram ocultados pela Igreja Católica. O resultado causou comoção no país e muitos estados descobriram que havia milhares de outras vítimas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

manifestantes-em-paris-invadem-predio-de-fundo-privado-e-jogam-ratos-mortos-na-frente-da-prefeitura

G1 Mundo

Manifestantes em Paris invadem prédio de fundo privado e jogam ratos mortos na frente da prefeitura

Esse foi o 11º dia de greves e manifestações organizadas por sindicatos contra o plano do governo de aumentar a idade de aposentadoria em dois anos, para 64 anos. Manifestantes durante protesto contra reforma da Previdência em Paris, em 6 de abril de 2023 — Foto: Stephanie Lecocq/Reuters Sindicalistas voltaram a fazer protestos contra a reforma da Previdência na França e, em Paris, nesta quinta-feira (6), e invadiram durante meia […]

today6 de abril de 2023 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%