G1 Mundo

Cientistas encontram fóssil de primo do T. Rex com últimas refeições no estômago

today9 de dezembro de 2023 5

Fundo
share close

Cerca de 75 milhões de anos atrás, no que hoje é a província canadense de Alberta, este temível primo do T. rex começou a caçar filhotes, do tamanho de um peru, de um dinossauro herbívoro emplumado chamado Citipes.

Com tantas presas, o Gorgosaurus podia ser exigente quanto ao que comia. Desmembrou o indefeso Citipes e engoliu inteiras as pernas carnudas, ignorando o resto da carcaça.

Cientistas disseram na sexta-feira (08) que desenterraram restos fossilizados de um Gorgosaurus juvenil que tinha entre 5 e 7 anos de idade e cerca de 4,5 metros de comprimento.



Surpreendentemente, o fóssil continha o conteúdo do estômago do animal, revelando suas últimas refeições.

O Gorgossauro e o mais famoso Tyrannosaurus rex, que viveu vários milhões de anos depois, são membros de um grupo de dinossauros carnívoros chamados de tiranossauros.

O fóssil forneceu informações sobre a ecologia deste grupo, mostrando que a estratégia alimentar e a dieta dos tiranossauros mudaram drasticamente durante a sua vida. Este é o primeiro esqueleto de tiranossauro com presas preservadas dentro de seu estômago.

Com base nas marcas de dentes deixadas nos ossos, sabe-se que os adultos caçaram grandes dinossauros herbívoros.

“Os tiranossauros adultos estavam bem equipados para capturar e matar presas grandes, como dinossauros com bico de pato e dinossauros com chifres. Seus crânios e dentes eram capazes de suportar as principais tensões de torção associadas a morder e segurar presas grandes”, disse François Therrien, curador de paleoecologia de dinossauros. no Royal Tyrrell Museum em Alberta e colíder do estudo publicado na revista Science Advances.

“Em contraste, as mordidas e os dentes mais fracos dos jovens tiranossauros eram ideais para cortar mordidas, não para segurar as presas. Eles estariam bem equipados para caçar espécies de dinossauros menores e dinossauros jovens”, acrescentou Therrien.

O estudo indica que os tiranossauros ocuparam diferentes nichos ecológicos durante sua vida: “mesopredadores” – predadores de médio porte – enquanto jovens, tornando-se predadores de ponta na adolescência e na idade adulta. Isso significa que os tiranossauros juvenis não competiam com os mais velhos pela mesma presa.

“Os tiranossauros jovens tinham dentes em forma de lâmina, crânios de construção leve, mordidas relativamente fracas, pernas longas e pareciam mais ‘atléticos’ do que os tiranossauros adultos, que eram de constituição muito robusta, tinham crânios enormes, dentes mais grossos – muitas vezes descritos como ‘bananas assassinas’ por sua forma – e mordidas poderosas que lhes permitiram esmagar ossos”, disse Therrien.

O Gorgosaurus, um pouco menor que o Tiranossauro, governava seu ecossistema. Ele andava sobre duas pernas, tinha braços curtos com mãos de dois dedos, um crânio enorme de três pés (um metro) de comprimento, atingia 30-33 pés (9-10 metros) de comprimento e pesava de 2 a 3 toneladas.

Este gorgossauro juvenil pesava cerca de 730 libras (330 kg), com um crânio de cerca de 20 polegadas (50 cm) de comprimento.

O fóssil foi descoberto no Dinosaur Provincial Park, no sul de Alberta. A região durante o Período Cretáceo era uma planície costeira florestada perto da costa ocidental de um vasto mar interior que dividia a América do Norte em duas metades.

O conteúdo do estômago, encontrado entre a caixa torácica e os ossos do quadril, incluía os ossos das pernas e dos pés de dois filhotes de um ano da raça Citipes. Citipes era um pequeno dinossauro parecido com um pássaro que andava sobre duas pernas e tinha uma cabeça parecida com a de um papagaio.

“Como os Citipes teriam grandes ninhadas que depositavam cerca de 30 ovos num ninho, as suas crias seriam abundantes no ecossistema e estariam prontas para serem colhidas pelos jovens tiranossauros”, disse a paleontóloga de dinossauros da Universidade de Calgary e colíder do estudo, Darla Zelenitsky.

Um jovem Gorgosaurus. — Foto: REUTERS

Com base nos diferentes danos causados ​​​​pelo ácido estomacal aos ossos do Citipes, os filhotes de um ano foram comidos em momentos diferentes, e o Gorgosaurus morreu de causas desconhecidas horas ou dias após sua última refeição.

“Os ossos encontrados no estômago são pernas inteiras. Talvez um Citipes inteiro fosse grande demais para passar pela garganta de um jovem Gorgosaurus, então o predador dissecou seletivamente as partes mais carnudas da carcaça. Este Gorgosaurus gostava de coxinhas”, Zelenitsky disse.

“Enquanto os adultos se alimentavam de forma mais indiscriminada, comendo todas as partes da carcaça de um grande herbívoro – muitas vezes pulverizando e engolindo ossos no processo – os indivíduos jovens eram muito mais cirúrgicos na forma como se alimentavam”, acrescentou Zelenitsky.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

voce-viu-no-g1?-a-disputa-por-essequibo,-acidente-com-ze-neto,-terra-bate-mais-um-recorde-de-calor-e-palmeiras-campeao-do-brasileirao

G1 Mundo

Você viu no g1? A disputa por Essequibo, acidente com Zé Neto, Terra bate mais um recorde de calor e Palmeiras campeão do Brasileirão

Membro da Assembleia Nacional da Venezuela segura um mapa que mostra a disputada região de Essequibo como parte da Venezuela. — Foto: Leonardo Fernandez Viloria/Reuters Venezuela e Guiana seguem vivendo uma escalada de tensão com a disputa pelo território de Essequibo. Após a aprovação do referendo que cria um estado em Essequibo, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, divulgou um novo mapa do país com a incorporação do território que […]

today9 de dezembro de 2023 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%