G1 Mundo

Cirurgião plástico britânico conta como entrou em Gaza para ajudar feridos: ‘Sabia das consequências catastróficas’

today16 de outubro de 2023 9

Fundo
share close

“Eu sabia que as consequências iam ser catastróficas para o povo daqui”, relata.

“O maior hospital de Gaza virou um campo de refugiados. As pessoas vão se abrigar ali, em busca de um lugar que elas acham seguro”, continua Ghassan.

Na última quinta-feira (12), o médico se deslocou do maior hospital da região, o Al Shifa, para o hospital Al Awda, onde atuam os Médicos Sem Fronteiras.



“Vim de carona numa ambulância que estava voltando para cá, depois de levar um paciente para lá. No caminho, eu ia vendo fileiras e fileiras de casas destruídas”, explica.

A falta de energia elétrica é outro drama vivido pela população em Gaza. A única central de energia parou de funcionar na quarta-feira e a região, agora, depende de energia solar e geradores abastecidos com diesel.

“Está ouvindo esse barulho atrás de mim? São os geradores do hospital. Fizemos nossa última cirurgia e daqui a pouco vai apagar tudo, para economizar diesel. A água é de caminhões-pipa. E, como você pode ouvir, tudo em volta está sendo bombardeado”, relata o cirurgião Ghassan.

Médico em Gaza relata problemas com falta de energia elétrica

Médico em Gaza relata problemas com falta de energia elétrica

De tanto operar em Gaza, o médico se especializou em situações de guerra. Ele conta que entre os casos mais recentes, o que mais marcou foi de uma família atingida.

“No hospital Al-Shifa fiz a reconstrução da face de uma menina de seis anos. Ela se salvou. mas a mãe e a irmã morreram quando a casa delas foi atingida. A mãe e o pai são médicos do hospital. O pai está viajando a trabalho. Na melhor das hipóteses, essa menina ainda vai passar por muitas cirurgias na face ao logo da vida”, relata.

Das últimas notícias vindas do conflito neste domingo (15), apontam que o doutor Ghassan continua com as cirurgias, mas a cada dia com menos recursos.

Veja a reportagem completa no vídeo abaixo:

'No momento, quem come ovo frito é como se fosse a um restaurante de cinco estrela', diz morador de Gaza que viveu 16 anos no Brasil

‘No momento, quem come ovo frito é como se fosse a um restaurante de cinco estrela’, diz morador de Gaza que viveu 16 anos no Brasil

Ouça os podcasts do Fantástico




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-suspende-exportacoes-para-a-colombia-apos-fala-de-presidente-colombiano-sobre-bloqueio-a-gaza

G1 Mundo

Israel suspende exportações para a Colômbia após fala de presidente colombiano sobre bloqueio a Gaza

O governo de Israel suspendeu a exportação de material de Defesa para a Colômbia após o presidente colombiano, Gustavo Petro, dizer que uma fala do ministro da Defesa israelense se equiparava ao que diziam nazistas. A decisão foi anunciada no domingo (15). Petro fez o comentário numa rede social em 9 de outubro, dois dias após o início do confronto entre Israel e o grupo terrorista palestino Hamas. Na ocasião, […]

today16 de outubro de 2023 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%