G1 Mundo

Com Brasil presidindo, Conselho de Segurança da ONU não deve debater guerra na Ucrânia

today6 de outubro de 2023 5

Fundo
share close

A guerra na Ucrânia começou em fevereiro do ano passado, quando tropas russas invadiram territórios ucranianos por determinação de Vladimir Putin.

Desde então, diversos fóruns internacionais têm discutido a guerra e convidado o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky a discursar.

Ao longo de todo esse ano, porém, o presidente Lula defendeu que o fórum adequado para discutir o assunto era o Conselho de Segurança da ONU, não o G7 nem o G20.



Brasil assume presidência temporária do Conselho de Segurança das Nações Unidas

Brasil assume presidência temporária do Conselho de Segurança das Nações Unidas

“A discussão da guerra da Ucrânia deveria estar sendo feita na ONU. […] É na ONU que tem que ter. […] Vamos colocar todos os membros da ONU, vamos trazer Putin e Zelensky para eles falarem e vamos fazer um debate franco e aberto. Onde? Na ONU, que é o espaço”, afirmou Lula em maio deste ano após ter participado da cúpula do G7, no Japão.

“O espaço de discutir a guerra não é no G7 nem é o G20, é no prédio das Nações Unidas. Aliás, o Conselho de Segurança deveria estar discutindo. Por que não discute? Porque quem se envolve nas brigas são as pessoas que são membros do Conselho de Segurança”, acrescentou Lula na ocasião.

Mas, segundo fontes do governo, a decisão por enquanto é não pautar a discussão. Entre os motivos alegados, estão:

  • a ausência de desdobramentos novos desde a última discussão do tema no Conselho de Segurança, em setembro;
  • o fato de a Rússia ser membro permanente do Conselho de Segurança e, com isso, ter direito a veto nas decisões – fator que reforça a tese brasileira de ampliar o colegiado.

Segundo essas mesmas fontes, o fato de o Brasil não pautar o tema não impede outro país de propor a discussão.

Bombardeio mata 51 pessoas na Ucrânia

Bombardeio mata 51 pessoas na Ucrânia

O Conselho de Segurança da ONU é formado por 15 países – 5 com assentos permanentes e 10 com assentos não permanentes.

Entre os países com assento permanente estão Estados Unidos, Inglaterra e justamente a Rússia (que está em guerra com a Ucrânia).

O Brasil, por sua vez, ocupa – de forma temporária – um dos assentos não permanentes e preside o conselho durante o mês de outubro.

Em comunicado divulgado no último domingo, o Ministério das Relações Exteriores informou que entre os temas que o Brasil quer pautar no conselho estão:

  • situação da Colômbia, do Iêmen e da Somália;
  • missões de paz da ONU em países como Iraque, Síria, Líbia, Haiti e República Centro-Africana.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

onibus-com-migrantes-vira-no-mexico,-e-18-morrem

G1 Mundo

Ônibus com migrantes vira no México, e 18 morrem

Acidente aconteceu em Oaxaca, estado no sul. Casos do tipo têm sido comum, e autoridades falam de recorde de migrantes que passam pelo país para tentar entrar nos EUA. Imagem de ônibus tombado no México, em 6 de outubro de 2023 — Foto: Divulgação/Via AFP Um ônibus que transportava migrantes capotou no sul no México nesta sexta-feira (6), e 18 pessoas morreram. O acidente deixou ainda 27 feridos. As informações […]

today6 de outubro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%