G1 Mundo

Com mais de 4 mil vítimas, conflito já é o mais mortal da história de Gaza e em 50 anos para Israel

today15 de outubro de 2023 4

Fundo
share close

Ao todo, 4.070 mil pessoas morreram no confronto – 2.670 mil em Gaza, segundo o último balanço palestino, divulgado neste domingo, e 1,4 mil em Israel, segundo as autoridades locais.

A maioria das mortes de ambos os lados são de civis – crianças estão entre as vítimas.

Último conflito mais mortal teve invasão de Gaza por terra



O número de mortos em Gaza ultrapassou o da terceira guerra entre Israel e o Hamas, ocorrida em 2014, quando 2.251 palestinos, incluindo 1.462 civis, foram mortos, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU).

Aquela guerra durou seis semanas e 74 pessoas foram mortas do lado israelense, incluindo seis civis.

Naquele conflito, após um intenso bombardeio com foguetes contra o sul de Israel por parte de ativistas palestinos, os israelenses iniciaram ataques aéreos contra Gaza. Os militantes de Gaza responderam, disparando foguetes contra Tel Aviv e Israel decidiu atacar Gaza também por terra.

Uma incursão por terra, segundo especialistas, será um dos momentos mais críticos e mortais da guerra entre Israel e Hamas.

A guerra atual eclodiu há uma semana, quando terroristas do Hamas invadiram o sul de Israel num ataque surpresa chocante. Mais de 1.300 israelenses foram mortos no ataque inicial e abrangente e em ataques de foguetes vindos de Gaza.

Palestino com bebê no local onde ficava sua casa em Beit Hanun, cidade destruída no conflito entre Hamas e Israel de 2014. — Foto: AFP Photo/Marco Longari

Em Israel, só guerra promovida por Egito e Síria foi pior

Para Israel, esta é a guerra mais mortal desde o conflito de 1973 com o Egito e a Síria.

O ataque do Hamas contra Israel no sábado (7) ocorreu um dia após os 50 anos da Guerra de 1973, que quase levou o país a uma derrota. A Guerra do Yom Kippur, como foi chamada, começou com um ataque dos vizinhos árabes, liderados pelo Egito e Síria, contra Israel.

Inicialmente, o país teve dificuldades de conter os ataques árabes. Mas conseguiu se organizar e começou a lançar contra-ataques.

Tanques em operação na guerra do Yom Kippur, iniciada em 1973. — Foto: Jornal Nacional/ Reprodução

Mais de 2.600 israelenses foram mortos. Por outro lado, não são conhecidos números exatos de vítimas, mas as estimativas chegam a 15 mil egípcios e 3.500 sírios mortos.

Cinco anos depois, Israel assinou um acordo de paz com o Egito, o primeiro com um país árabe, e o Acordo de Desengajamento de Forças de 1974, entre Israel e a Síria.

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

Quem é quem no conflito Israel x Hamas

Quem é quem no conflito Israel x Hamas

Veja imagens marcantes da primeira semana do conflito entre Israel e o Hamas

Veja imagens marcantes da primeira semana do conflito entre Israel e o Hamas




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

pm-prende-quadrilha-flagrada-embalando-drogas-no-chao-de-‘casa-do-trafico’-no-litoral-de-sp

G1 Santos

PM prende quadrilha flagrada embalando drogas no chão de ‘casa do tráfico’ no litoral de SP

A Polícia Militar prendeu oito suspeitos e apreendeu um menor de idade, após flagrar o grupo preparando drogas para o tráfico em São Vicente, no litoral de São Paulo. Conforme apurado pelo g1, neste domingo (15), a corporação encontrou, além dos entorpecentes, dois simulacros de arma de fogo e R$ 592,50 com a quadrilha. Segundo a PM, as equipes foram informadas sobre um 'ponto' de tráfico de drogas em uma […]

today15 de outubro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%