G1 Mundo

Copa Airlines usa Boeing 737 Max 9 em voos para São Paulo; empresa suspendeu uso desse modelo após ordem da FAA

today7 de janeiro de 2024 18

Fundo
share close

Na noite de sábado, a Copa anunciou em seu site a suspensão de voos com 21 aeronaves Boeing 737 Max 9 para inspeção, de forma a atender uma determinação da agência federal de aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês). A medida não atinge todas as aeronaves desse modelo: a Copa tem 29 Boeings 737 Max 9, de acordo com o site Airfleets.

Aviso na página da Copa em português — Foto: Reprodução



Segundo a FAA, são obrigados a passar por inspeção “imediata” 171 aeronaves Boeing 737 Max 9 de companhias aéreas americanas ou estrangeiras que operem nos Estados Unidos e têm o chamado tampão de porta (“door plug”, em inglês). A Copa parou 21 dos 29 Boeings 737 Max 9 –os outros oito seguem voando, inclusive dentro do Brasil e dos Estados Unidos.

A Copa é a única empresa a operar Boeings 737 Max 9 no Brasil. Nenhuma companhia aérea brasileira tem esse tipo de aeronave; a Gol usa Boeings 737 Max 8 —menores que os Max 9 e não impactados pela decisão da FAA.

Porta abre em voo, e avião faz pouso de emergência nos EUA

Porta abre em voo, e avião faz pouso de emergência nos EUA

Em razão de a porta “falsa” ter sido ejetada, o avião da Alaska Airlines sofreu uma despressurização em voo quando estava em procedimento de subida, a 4.975 metros de altitude, e teve que fazer um pouso de emergência em Portland —cerca de 20 minutos depois de ter decolado do mesmo aeroporto. Havia 171 passageiros e seis tripulantes a bordo. A porta “falsa” estava ao lado de um assento vazio. Ninguém se feriu.

Ao justificar a suspensão, a FAA apontou o risco de outras aeronaves terem problemas na porta “falsa”, o que classificou de “condição insegura”.

Apontou ainda que a perda de porta de voo, caso se repetisse, poderia resultar em “ferimentos aos passageiros e tripulação, impacto da porta no avião e/ou perda de controle do avião” (veja abaixo fac-simile da determinação).

Trecho de norma da FAA que fala de risco aos passageiros, à tripulação e ao risco de perda de controle da aeronave — Foto: Reprodução

A inspeção nos Boeing 737 Max 9 leva de quatro a oito horas, segundo a FAA. O Conselho Nacional de Segurança dos Transportes (NTSB) investiga o incidente.

As companhias aéreas brasileiras não adotam o Boeing 737 Max 9.

Avião fez pouso de emergência após porta abrir durante voo, nos EUA, em 6 de janeiro de 2024 — Foto: Redes sociais

Por que esses aviões têm a porta ‘falsa’

O problema no voo da Alaska ocorreu em uma porta desativada na parte traseira do Boeing 737 Max 9.

Essa porta extra existe em todo 737 Max 9 para atender aos requisitos de evacuação de passageiros em caso de emergência —mas não necessariamente está apta a funcionar. A porta é adotada como saída de emergência por companhias aéreas que usam a configuração máxima do Max 9, com 220 passageiros.

No caso da Alaska Airlines, há menos assentos: 178, segundo o site da companhia. Na prática, o voo tem menos passageiros a bordo, o que dispensa usar essa saída de emergência —e ela então fica bloqueada. Só por fora é possível perceber se tratar de uma porta; do lado de dentro, ela se assemelha a uma janela.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

coreia-do-norte-faz-disparos-pelo-terceiro-dia-seguido-em-regiao-de-fronteira-maritima

G1 Mundo

Coreia do Norte faz disparos pelo terceiro dia seguido em região de fronteira marítima

Informações foram divulgadas pela agência de notícias estatal da Coreia do Sul, citando fontes militares. Desde sexta-feira (5), área vive sob alerta com escalada de tensões. Autoridades da Defesa da Coreia do Sul em reunião, em 5 de janeiro de 2024 — Foto: Ministério da Defesa da Coreia do Sul/Reuters A Coreia do Norte fez disparos de artilharia pelo terceiro dia consecutivo na região de fronteira marítima com a Coreia […]

today7 de janeiro de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%