G1 Mundo

Defesa de Trump pede à Suprema Corte que derrube ‘rápido’ e de forma definitiva ações que o impedem de concorrer à Presidência

today19 de janeiro de 2024 1

Fundo
share close

A Suprema Corte do Colorado concluiu, em 19 de dezembro, que Trump se envolveu em uma insurreição ao discursar incitando eleitores descontentes a invadirem o Capitólio, em Washington, no dia 6 de janeiro de 2021. O episódio ocorreu após o republicano perder as eleições presidenciais que disputava com o democrata Joe Biden.

A base da Justiça do Colorado para tirar Trump da disputa foi um artigo da 14ª emenda da Constituição americana. O texto proíbe de assumir um cargo no governo qualquer pessoa que tenha jurado “apoiar” a Constituição dos EUA e depois “se envolvido em insurreição ou rebelião” contra a nação (leia mais abaixo).

No recurso apresentado nesta quinta, os advogados de Trump pedem à Suprema Corte que coloque um “rápido e decisivo” fim aos esforços para “desqualificar” Trump das urnas, e apontam que tentativas similares estão ocorrendo em mais de 30 estados.



A defesa aponta ainda que a 14ª emenda não se aplica a presidentes, e que a questão da elegibilidade presidencial deve ser decidida pelo Congresso. Sustentam ainda que Trump não participou de uma insurreição.

Os juízes agendaram a argumentação oral do caso na Suprema Corte para 8 de fevereiro.

Entre 1861 e 1865 os EUA viveram uma guerra civil muito violenta. Uma parte dos estados queriam se separar (por isso a guerra também é conhecida como Guerra de Secessão).

Depois desse confronto, foi aprovado um artigo na Constituição que tem uma cláusula que tinha como propósito impedir que os ex-dirigentes que tinham se envolvido na tentativa de separação de retornar a ocupar cargos públicos.

É essa cláusula, conhecida como Seção 3, que Trump estaria infringindo, de acordo com as decisões desfavoráveis a ele.

Esse artigo tinha caído em desuso, mas voltou a ser discutido após o dia 6 de janeiro de 2021.

Como Trump entra na história

Trump já está sendo processado por suas tentativas de reverter os resultados das eleições de 2020, que ele perdeu para Joe Biden.

O último ato da tentativa de Trump de fraudar as eleições foi a invasão do Capitólio (prédio do Congresso dos EUA).

Mesmo sem ter sido condenado criminalmente, Trump pode ser impedido de concorrer por causa da Cláusula 3. Diversos grupos entraram na Justiça dos EUA ou com requerimentos a secretários de Estado para que Trump seja impedido de participar das eleições com base no artigo.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

autor-de-ataque-a-tiros-em-boate-lgbtqia+-nos-eua-em-2022-e-acusado-de-crime-de-odio

G1 Mundo

Autor de ataque a tiros em boate LGBTQIA+ nos EUA em 2022 é acusado de crime de ódio

Atirador foi condenado em junho do ano passado pela justiça estadual a cinco penas de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional. Homem abre fogo contra um bar gay nos Estados Unidos O homem que matou a tiros cinco pessoas em uma boate LGBTQIA+ do Colorado em 2022 foi acusado de crimes de ódio na esfera federal, anunciou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos na terça-feira (16). Anderson Lee […]

today19 de janeiro de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%