G1 Santos

Dentista preso e torturado na ditadura militar será indenizado em até R$ 1,1 milhão: ‘vivemos e lutamos’

today3 de junho de 2023 18

Fundo
share close

Um dentista de Santos, no litoral de São Paulo, que foi preso e torturado durante a ditadura militar brasileira deverá ser indenizado em R$ 1,1 milhão pela União. Osmar Gomes da Silva, de 83 anos, entrou com o processo em 2007 e teve o direito concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) 16 anos depois. Em entrevista ao g1 neste sábado (3), ele disse que o sentimento é de vitória do Estado Democrático de Direito.

Osmar contou à reportagem que em 1975 foi raptado no próprio consultório, no bairro Aparecida, e levado ao Destacamento de Operações de Informações de Defesa Interna (DOI-Codi), em São Paulo. Ele, que integrava o Partido Comunista Brasileiro (PCB), lembrou ter sofrido torturas de agosto até dezembro daquele ano.

De acordo com o advogado Alexandre do Amaral Santos, em 9 de maio o STJ certificou “trânsito em julgado” o caso. Dessa forma, portanto, não há mais discussão sobre o direito da indenização de Osmar. “Somente quanto aos valores a serem recebidos”, explicou Amaral.



De acordo com o advogado do dentista, à União cabe apenas recurso em relação aos cálculos usados pela defesa para chegar ao valor.

Em primeira instância, a indenização era de R$ 100 mil. “A gente conseguiu majorar em R$ 150 mil”, contou Amaral. Segundo ele, o valor de R$ 1,1 milhão leva em consideração os juros de mora e a correção monetária, que correm desde a data em que foi movida a ação.

Agora, o governo tem dois meses para manifestar recurso [sobre os valores]. “Como é um processo indenizatório contra a União, os prazos são todos quadruplicados”, ressaltou Amaral. Para o advogado, apesar do tempo que ainda resta para o fim do processo, a sensação já é de justiça. “A gente se sente orgulhoso pelo nosso trabalho, de ter participado desse momento histórico”, enfatiza

À direita, Osmar Gomes da Silva, que foi preso e torturado na ditadura militar, ao lado do advogado Alexandre do Amaral Santos — Foto: Sílvio Luiz/A Tribuna Jornal

Ainda segundo o defensor de Osmar, todas as provas do processo foram baseadas na documentação da prisão do dentista e no próprio depoimento do sobrevivente, que escreveu à mão tudo pelo que passou. “Trabalhei em cima desse relato, inclusive foi até emocionante fazer porque você começa a vivenciar aquele momento. São coisas que nem eu imaginava que existiam”, disse Amaral.

Osmar lembra que, durante o interrogatório no DOI-Codi, ele era obrigado a ficar sem roupa enquanto sofria choques elétricos e socos para ‘dedurar’ integrantes do Partido Comunista Brasileiro (PCB), do qual fazia parte. “É dia e noite. Você não dorme”. Ele relatou que ouvia gritos e choros de pessoas de idades e sexos diferentes o dia inteiro.

“Muitos traumas que, enquanto vivo, a gente tenta superar”, contou o homem sobre o local que ele descreve como “antessala do inferno”.

Segundo o dentista, os traumas físicos e psicológicos repercutiram na sua vida conjugal, com um divórcio, bem como na relação com amigos e familiares. “É muito duro sobreviver”.

Entre as lembranças de Osmar, está a morte do jornalista Vladimir Herzog, que ele conhecia e estava em uma cela próxima. Ele, entre outros mortos durante o DOI-Codi, é com quem o dentista diz dividir a indenização na Justiça.

“O objetivo era marcar a vitória, a maneira com que a gente pode ir contra um estado ditatorial. Nós vivemos e lutamos por um estado como esse que está agora”, finaliza.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

reserva-sitio-sao-pedro-tera-acao-no-dia-mundial-do-meio-ambiente

Prefeitura de Guarujá

Reserva Sítio São Pedro terá ação no Dia Mundial do Meio Ambiente

A partir das 9h30, a Semam realizará a atividade ‘SOS Fauna São Pedro 2023’ A programação para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente segue com  diversas atividades neste mês de junho. Nesta segunda-feira (5), quando é comemorada a data, a Prefeitura de Guarujá, sob a coordenação da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), realiza duas atividades de conscientização para a preservação do ecossistema.  A partir das 9h30, a Semam realizará na reserva natural […]

today3 de junho de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%