G1 Mundo

É possível erradicar o Hamas de Gaza, como alardeia Netanyahu?

today16 de outubro de 2023 5

Fundo
share close

A retórica bélica é explícita: “vamos esmagá-lo e destruí-lo”, “derrotá-lo até a morte” e “o que havia em Gaza não existirá mais” são sentenças proferidas pelo primeiro-ministro e pelo ministro da Defesa, Yoav Gallant, desde sábado passado (7), quando o país foi surpreendido pelo maior ataque terrorista do Hamas, com 1.300 mortos do lado de Israel e 199 reféns.

Até que ponto é possível eliminar o Hamas, como promete o desgastado Netanyahu ao público israelense?

Nenhuma das quatro guerras anteriores em que Israel enfrentou o grupo islâmico em Gaza conseguiu alcançar tal objetivo.



Ainda que golpeado, o Hamas, que assumiu o controle da Faixa de Gaza em 2007, após a retirada israelense do território, conseguiu se reerguer após os quatro confrontos, alternando ciclos de violência com relativa calmaria.

Os comandantes mortos foram substituídos e outros chefes governam do exílio, como Ismail Haniyeh, Abu Marzouk e Khaled Meshaal, que se encontram no Catar, ou estão em Beirute e Istambul.

Pode-se argumentar que desta vez as circunstâncias são inéditas pela conjunção envolvendo humilhação e a tomada de reféns por terroristas em solo israelense. A convocação de 360 mil reservistas para retaliar o ataque do Hamas é a maior já registrada na História do país.

Israel partiu para a ofensiva sob a égide da revanche ao massacre de seus cidadãos pelo Hamas. Em apenas uma semana, a quinta guerra em Gaza nos últimos 18 anos já é considerada a mais letal para ambos os lados e atinge, sobretudo, os civis.

Um ataque por terra, com batalhas entre soldados e combatentes em áreas densamente povoadas, terá consequências ainda mais drásticas.

O grupo islâmico teve tempo suficiente para organizar um ataque em Israel e preparar-se na construção de um labirinto de túneis subterrâneos. Poderá usar civis palestinos e reféns israelenses para se defender da ação das tropas.

Ainda que a campanha militar derrote o Hamas, ao custo pesado de perdas de vidas, uma questão se impõe: o que Israel pretende fazer com o enclave arrasado?

O país se retirou unilateralmente da Faixa de Gaza em 2005, após desmantelar duas dezenas de colônias judaicas que ali existiam.

Reocupar e voltar a administrar o território, lar de mais de 2 milhões de palestinos, seria considerado um retrocesso em Israel. Permanecer em Gaza por tempo indeterminado seria dispendioso e não está nos objetivos das Forças de Defesa de Israel.

Por outro lado, a possibilidade de entregar o controle do enclave à inoperante Autoridade Palestina, como ocorreu entre 1994 e 2006, também parece inviável, e não tem o apoio da população de Gaza.

Netanyahu declarou publicamente o objetivo de desarmar e erradicar o Hamas, mas sinaliza não ter um plano estratégico para o pós-guerra.

Guerra em Gaza: especialistas apontam desafios de Israel no combate por terra contra o Hamas

Guerra em Gaza: especialistas apontam desafios de Israel no combate por terra contra o Hamas




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-ordena-que-moradores-do-norte-do-pais-mantenham-distancia-segura-do-libano

G1 Mundo

Israel ordena que moradores do norte do país mantenham distância segura do Líbano

Israel colocou em prática um plano para retirar os moradores de 28 aldeias num raio de 2 km da fronteira com o Líbano, disseram os militares nesta segunda-feira (16), após as hostilidades com o Hezbollah, paralelamente à guerra em Gaza. As pessoas que deixarão suas casas ficarão em pensões pagas pelo governo israelense. O plano será implementado pelos chefes dos municípios locais, pelo Ministério do Interior e pela Autoridade Nacional […]

today16 de outubro de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%