G1 Mundo

Escassez de água e falta de saneamento básico na Turquia colocam saúde de sobreviventes do terremoto em risco

today16 de fevereiro de 2023 20

Fundo
share close

Como inúmeras outras vítimas de uma catástrofe que matou mais de 41.000 na Turquia e na Síria, ele ainda espera por uma lavagem – afetado por uma escassez de água potável que, segundo organismos internacionais de saúde, representa um risco à saúde pública.

“Não conseguimos enxaguar desde o terremoto”, disse Emin, um estudante de design gráfico de 21 anos, enquanto trazia remédios para gripe de uma clínica em um estádio ao ar livre que serve como acampamento para deslocados em a cidade de Kahramanmaras.

Pessoas retiram manualmente cópias do Alcorão e do Evangelho do meio dos escombros em Kahramanmaras, na Turquia — Foto: Suhaib Salem/REUTERS



Com grande parte da infraestrutura de saneamento da região danificada ou inoperante pelos dois terremotos de magnitude 7,8 e 7,6 na segunda-feira passada, as autoridades de saúde turcas enfrentam uma tarefa difícil ao tentar garantir que os sobreviventes, muitos desabrigados, permaneçam livres de doenças.

Um médico da clínica, Akin Hacioglu, disse que entre 15 e 30 médicos operavam a instalação, a única desse tipo no acampamento, que atende até 10.000 pessoas durante o dia.

Eles estão oferecendo vacinas contra o tétano aos residentes que as solicitarem e distribuindo kits de higiene com xampu, desodorante, absorventes e lenços umedecidos, disse Hacioglu.

População de Kahramanmaras recebe alimentos em acampamento montado diante de estádio na Turquia — Foto: Suhaib Salem/REUTERS

Mas Emin disse que não havia chuveiros no acampamento ou perto dele e que os seis banheiros do estádio não eram suficientes para atender à demanda.

Ele também disse que não conseguiu tomar banho nem trocar de roupa, assim como vários outros residentes do campo com quem a Reuters conversou.

Pessoas recolhem itens em escombros na província de Hatay, Turquia — Foto: Eloisa Lopez/REUTERS

Na cidade de Antakya, mais ao sul em direção à fronteira com a Síria, há um número maior de banheiros químicos em evidência do que nos primeiros dias após o terremoto, mas muitos moradores dizem que ainda são necessários mais.

Batyr Berdyklychev, representante da Organização Mundial da Saúde na Turquia, disse que a escassez de água “aumenta o risco de doenças transmitidas pela água e surtos de doenças transmissíveis”.

A OMS está trabalhando com as autoridades locais para intensificar o monitoramento de doenças transmitidas pela água, gripe sazonal e Covid-19 entre os deslocados, acrescentou.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

a-ultima-de-george-santos:-cheques-sem-fundos-a-criadores-de-cachorros

G1 Mundo

A última de George Santos: cheques sem fundos a criadores de cachorros

Até quando o congressista republicano George Santos resistirá na Câmara dos EUA com a profusão de mentiras que sustentam a sua biografia? Filho de imigrantes brasileiros, ele tornou-se motivo de chacota nacional, como mentiroso compulsivo e envolvido em múltiplas denúncias de fraudes, mas mantém-se desafiador em seu primeiro mês no cargo, conforme deixou claro em uma postagem no Twitter: “Que fique bem claro: não estou saindo, não estou me escondendo […]

today16 de fevereiro de 2023 17

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%