G1 Mundo

Essequibo: Venezuela levou tropas e mísseis para fronteira com a Guiana no mesmo dia em que países se reuniram em busca de conciliação, diz jornal

today9 de fevereiro de 2024 6

Fundo
share close

O jornal americano recebeu imagens de satélite feitas em dezembro de 2023 e janeiro de 2024. As fotos foram feitas pela empresa Maxar, encomendada pelo Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais.

Na reunião mediada pelo Brasil, os venezuelanos, representados pelo chanceler Yván Gil Pinto, prometeram usar a diplomacia para resolver o conflito. O ministro da Guiana que compareceu à reunião foi Hugh Todd.

O “Wall Street Journal” cita pelo menos três pontos da Venezuela:



  1. Ilha de Anacoco: O jornal afirma que a Venezuela levou veículos blindados e, aparentemente, pequenos tanques para a Ilha de Anacoco, no rio Cuyuni, a metros de distância da fronteira com a Guiana. As imagens também mostram que há construção na ilha, o que pode ser uma expansão de uma base que já existe no local.
  2. Porto de Guiria: Entre 18 e 22 de janeiro, foram levados três barcos de patrulha com mísseis Peykaap III, de fabricação iraniana. Além disso, foram instalados dois sistemas antiaéreos Buk M2E, de fabricação russa.
  3. Ponta Barima: Um pequeno posto da guarda costeira está sendo transformado em uma base naval e aérea.

Outdoor em Lethem, na Guiana, afirmando que Essequibo pertence ao país — Foto: Arquivo Pessoal/Sofia Porto

A disputa na fronteira envolve uma região de 160 mil quilômetros quadrados na Guiana, que é mais de duas vezes maior que o território da Irlanda e é formada, em sua maioria, por floresta.

A Venezuela reativou recentemente sua reivindicação de posse de Essequibo, após grandes reservas de petróleo e de gás terem sido descobertas na costa da região.

Em dezembro, Venezuela e Guiana concordaram em não usar a força ou escalar as tensões, em encontro realizado em São Vicente e Granadinas.

Brasil também movimenta suas forças

No dia 2 de fevereiro, o Brasil também enviou um comboio de caminhões militares e veículos blindados para a região da fronteira norte do território, com o objetivo de reforçar a presença do Exército no local, em resposta às tensões geradas pela reivindicação venezuelana de Essequibo.

Mais de duas dúzias de blindados chegaram a Manaus por rio, e alguns foram pela estrada para Boa Vista, capital de Roraima, onde a guarnição local será ampliada para 600 soldados, informou o Exército em comunicado.

Os reforços de blindados incluem seis Cascavéis, um carro de seis rodas equipado com um canhão de 37 milímetros; oito Guaranis, um veículo 6×6 de transporte pessoal; e 14 Guaicurus, um blindado leve de quatro rodas e multitarefas, informou o Exército. Os veículos mais pesados foram transportados por caminhões-reboque.

O comandante do Exército, General Tomás Ribeiro Paiva, disse que o esquadrão de Boa Vista será transformado em um regimento com o triplo de equipamentos e homens, sendo que parte ficará na capital e parte será transferido para Paracaima, na fronteira com a Venezuela.

“O papel das força armadas é garantir a nossa soberania”, disse o general a repórteres em Manaus. “Acreditamos realmente que a situação está solucionada pacificamente por meios diplomáticos.”




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-ordena-retirada-total-de-pessoas-em-rafah,-ultimo-refugio-de-moradores-da-faixa-de-gaza;-onu-e-contra-deslocamento-forcado-em-massa

G1 Mundo

Israel ordena retirada total de pessoas em Rafah, último refúgio de moradores da Faixa de Gaza; ONU é contra deslocamento forçado em massa

Rafah, que fica na fronteira entre Gaza e o Egito, é considerada o último refúgio de cerca de 1,5 milhão de pessoas - quase toda a população da Faixa de Gaza - que desde o início da guerra entre Israel e o Hamas deixaram o norte, o centro e outras cidades do sul do território palestino por conta de bombardeios e ações por terra do Exército de Israel. Nesta sexta, […]

today9 de fevereiro de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%