G1 Mundo

Estilhaços atingem escola onde brasileiros se abrigam na Faixa de Gaza, diz um dos abrigados: ‘Não tem lugar não perigoso’

today12 de outubro de 2023 14

Fundo
share close

Homem que integra grupo de 13 brasileiros contou que prédio à frente da escola foi o alvo do ataque israelense.




Estilhaços atingem escola onde brasileiros se abrigam na Faixa de Gaza

Estilhaços atingem escola onde brasileiros se abrigam na Faixa de Gaza

Um brasileiro que integra um grupo de pessoas abrigadas em uma escola católica em Gaza relatou que o local onde eles estão se protegendo foi atingido por estilhaços de um bombardeio feito na região por Israel. A informação foi obtida com exclusividade pela GloboNews.

O brasileiro Ahmad El Ajrami explicou que a escola onde ele e as demais famílias estão não foi o alvo, mas sim uma construção que fica à frente desse prédio. Mas os fragmentos foram na direção da escola, a deixando parcialmente destruída por dentro e por fora, com pedras que destruíram o telhado, janelas e parte do pátio.

Ahmad contou que sofreu ferimentos no joelho e no cotovelo. E explicou que os bombardeios não pararam na Faixa de Gaza.

“Toda hora, muitas bombas. Eu não dormi por cinco dias”, contou. “Toda a Faixa de Gaza sofreu com bombas. Não tem lugar não perigoso. Tudo está perigoso”.

Brasileiro relata que escola onde grupo se abriga foi atingido por estilhaços de uma bomba que teve outro prédio como alvo — Foto: Reprodução/GloboNews

A embaixada brasileira em Israel comunicou o país que um grupo de 13 brasileiros estão nesta escola, a fim de tentar evitar que o local seja bombardeado pelos israelenses. A embaixada do Brasil na Palestina divulgou imagens das pessoas que estão nesse abrigo, dentre elas, uma criança de 11 anos, Bader Monir, que disse se sentir seguro no local. “Aqui a gente não pode morrer”, afirmou o adolescente.

A Palestina informou que 22 brasileiros aguardam para serem resgatados da área da Faixa de Gaza. O número anterior era de 28 pessoas, mais seis desistiram e decidiram ficar por se sentirem mais seguras. Alguns deles não quiseram ir para a escola onde estão os 13 brasileiros.

O governo brasileiro está negociando com o Egito a criação de um corredor humanitário para resgatar as pessoas que estão na Palestina. No entanto, a embaixada brasileira não tem conseguido entrar em acordo com os representantes egípcios.

Em entrevista na quarta-feira (11), o ministro das Relações Exteriores Mauro Vieira afirmou que não existem informações de que existam brasileiros feitos reféns pelo Hamas. O grupo terrorista armado teria feito cerca de 150 reféns no ataque que fez a Israel no último fim de semana.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

http://g1.globo.com/

http://g1.globo.com/




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israelenses-matam-2-palestinos-durante-funeral-na-cisjordania

G1 Mundo

Israelenses matam 2 palestinos durante funeral na Cisjordânia

Pai e filho estavam em um funeral de quatro palestinos, mortos por forças israelenses na aldeia de Qusra, perto da cidade de Nablus, na quarta-feira (11). Pessoas carregam o corpo de Muntaser Za'aqiq, morto pelas forças israelenses, durante seu funeral perto de Hebron, na Cisjordânia ocupada por Israel — Foto: Reuters Israelenses mataram dois palestinos durante um funeral na Cisjordânia, afirmou Ministério das Relações Exteriores palestino nesta quinta-feira (12). A […]

today12 de outubro de 2023 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%