G1 Mundo

EUA dizem não ter evidência de que últimos objetos voadores abatidos eram da China, mas acreditam que podem ter objetivos comerciais

today15 de fevereiro de 2023 10

Fundo
share close

O governo dos Estados Unidos disse nesta terça-feira (14) não ter indícios, até agora, de que os três últimos objetos voadores avistados no céu do país e derrubados pelas Forças Armadas norte-americanas no último fim de semana pertençam ao governo chinês.

Ainda de acordo com o governo americano, existe a possibilidade de que os objetos voadores não identificados tenham objetivos comerciais.

Os objetos que foram derrubados são os seguintes:



  • 4 de fevereiro: um balão chinês supostamente usado para espionagem;
  • 10 de fevereiro: um objeto do tamanho de um carro enquanto voava sobre o Alasca;
  • 11 de fevereiro: um objeto cilíndrico no Canadá;
  • 12 de fevereiro: um objeto em forma octagonal em um lago na fronteira entre EUA e Canadá.

John Kirby, porta-voz de segurança nacional da Casa Branca, disse a repórteres que os Estados Unidos ainda não tinham um entendimento da origem dos três objetos.

Kirby afirmou que haverá mais informações se e quando os destroços puderem ser coletados, mas que as partes estão em áreas de difícil acesso. O porta-voz também disse que não há indicação de que os três objetos estejam ligados ao programa de balões espiões da China.

A Casa Branca diz, porém, não ter identificado a origem desses novos artefatos. Nenhum grupo, país ou indivíduo reivindicou autoria dos objetos até agora, ainda segundo Washington. 

Segundo Washington, o primeiro balão avistado no espaço aéreo americano tinha origem chinesa. Ele foi derrubado sobre o mar no estado da Carolina do Sul.

Membros do FBI, o serviço de investigação da polícia, já começaram a analisar e investigar os restos do balão.

A análise será possível após novos restos do balão – entre eles sensores – terem sido recuperados na segunda-feira (13), segundo anunciou a Casa Branca.

O primeiro dos dois mísseis disparados de um caça F-16 contra um objeto não identificado sobre o Lago Huron no domingo errou o objeto, mas caiu inofensivamente na água, disse o principal general dos EUA, Mark Milley, nesta terça-feira (14).

“Nós certamente rastreamos isso até o fim”, disse Milley a repórteres em uma coletiva de imprensa em Bruxelas.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

nova-zelandia-declara-estado-de-emergencia-apos-passagem-de-ciclone

G1 Mundo

Nova Zelândia declara estado de emergência após passagem de ciclone

O ciclone destruiu estradas, inundou casas e deixou 250 mil pessoas sem acesso à energia elétrica. Casas no alto de um morro onde houve deslizamento perto da cidade de Auckland, na Nova Zelândia, em 14 de fevereiro de 2023 — Foto: David Rowland/Reuters O governo da Nova Zelândia decretou estado de emergência nacional nesta terça-feira (14), após a passagem do ciclone Gabrielle pela ilha Norte. O ciclone destruiu estradas, inundou […]

today15 de fevereiro de 2023 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%