G1 Santos

Ex-ginasta acusada de matar a filha ao jogá-la em duto de lixo do 6º andar voltará à prisão

today11 de junho de 2022 52

Fundo
share close

Ana Carolina Moraes da Silva estava em liberdade provisória desde o último dia 3 de junho.

Ana Carolina Moraes da Silva, acusada de matar a própria filha, foi presa em Santos, no litoral de São Paulo, em 2018 — Foto: Arquivo Pessoal



A ex-ginasta Ana Carolina Moraes da Silva, acusada de matar a filha recém-nascida ao jogá-la em um duto de lixo, do 6° andar, de um prédio em Santos, no litoral de São Paulo, voltará à prisão preventiva. A decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) foi publicada na última quinta-feira (9).

Mais cedo, o Ministério Público (MP) havia ingressado com um recurso no TJ-SP pedindo a restituição da prisão da acusada. A partir do documento que contém a decisão do citado órgão, Ana Carolina ficará detida até o julgamento do recurso ministerial. A data ainda não foi divulgada.

A acusada estava em liberdade provisória desde o último dia 3 de junho, quando conseguiu um alvará de soltura e a suspensão do júri junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ao g1, na última quinta, a advogada de defesa da ex-ginasta, Letícia Giribelo, informou que entraria com recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ), caso o TJ-SP determinasse pelo retorno de Ana Carolina à prisão, como fez.

A menina recém-nascida foi encontrada morta em 28 de junho de 2018 dentro de uma lixeira localizada na frente de um prédio em Santos. Segundo apurado pelo g1 na época, o bebê foi encontrado por um catador de latinhas que vasculhava a estrutura, localizada na Rua Bahia, no bairro Gonzaga.

De acordo com testemunhas, a criança estava dentro de um saco preto e completamente enrolada com jornais. A queda do 6º andar, segundo o Instituto Médico Legal (IML), foi a causa da morte, já que foi constatado traumatismo craniano na criança e não havia indícios de asfixia, como indicou a polícia inicialmente.

Um cupom fiscal da compra de um pacote de fraldas descartáveis, achado em meio ao corpo do bebê, foi o pontapé inicial para a localização do pai da criança. Abordado nas redondezas do prédio em que morava, foi ele quem indicou que Ana Carolina e a filha, de três anos, estavam em outra cidade.

Cupom fiscal estava no saco onde a criança foi achada. Comprovante ajudou a localizar o pai, em Santos, SP — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Na época, o delegado Renato Mazagão Júnior, responsável pelo caso, afirmou que no apartamento, foi localizada uma lixa metálica e pontiaguda, o que reforça a hipótese de ela ter sido usada para a asfixia, já que a criança tinha ferimentos de perfuração no pescoço.

O casal foi preso no mesmo dia, mas o pai, porém, foi solto na manhã seguinte, em decisão que foi acompanhada pelo Ministério Público. Ele foi indiciado por favorecimento pessoal. Já a mãe foi indiciada por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Desde 2018 – até o período de “liberdade provisória” – Ana Carolina ficou presa na Penitenciária Feminina I de Tremembé (SP). Ela está sendo acusada de homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, já que a investigação policial apontou que ela matou a criança por não querer criá-la. Ela também responde por ocultação de cadáver, podendo cumprir de até 30 anos de prisão.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

em-guaruja,-ex-presidente-michel-temer-defende-o-municipalismo

Prefeitura de Guarujá

Em Guarujá, ex-presidente Michel Temer defende o municipalismo

Painel, no Casa Grande Hotel, contou também com as presenças do ex-ministro da Justiça, Torquatto Jardim, e do ex-presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro Uma das personalidades mais aguardadas para a 5ª edição do Conexidades – Encontro Nacional de Parceiros Públicos e Privados, o ex-presidente Michel Temer defendeu o municipalismo e ressaltou a importância do papel de cada cidade para que se construa um País melhor, nesta sexta-feira (10). Esta […]

today10 de junho de 2022 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%