G1 Santos

Falso policial envolvido em ‘Gabinete do Crime’ e suspeito de manter ‘sala de extorsão’ é preso no litoral de SP

today2 de abril de 2024 7

Fundo
share close

Conhecido como ‘Ganso’, Márcio Ricardo Pereira Mendes, de 45 anos, foi preso em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo apurado pelo g1, ele atuava dentro do ‘Gabinete do Crime’ e estava foragido por atuar como falso policial em uma organização criminosa, que inventava crimes para extorquir dinheiro de empresários em Indaiatuba (SP).

De acordo com o Ministério Público (MP), mais de uma dezena de empresários foram vítimas. A exigência de valores variava entre R$ 1 milhão e R$ 3 milhões por pessoa.

Márcio foi localizado e preso, nesta segunda-feira (1), por policiais do 45° Batalhão de Polícia Militar do Interior, em Praia Grande. A equipe estava em patrulhamento quando foi informada, via monitoramento, que um homem com documentos falsos estava em um carro Jeep Renegade. Os policiais abordaram o homem que estava no veículo na Avenida Presidente Costa e Silva, no bairro Boqueirão.



Além do licenciamento em atraso desde 2021, os policiais constataram que o motorista era alvo de investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e tinha um mandado de prisão temporário expedido contra ele.

Desta forma, Márcio foi encaminhado para a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Praia Grande, onde o caso foi registrado como captura de procurado. Além disso, dois celulares que estavam com ele foram apreendidos e deverão ficar à disposição do Gaeco, responsável pelas investigações.

Enquanto isso, o veículo que estava com o licenciamento atrasado foi apreendido administrativamente pela PM. O g1 não localizou o advogado de defesa dele.

Esquema montado por policiais e agentes públicos cobrava propina milionária de empresários

Esquema montado por policiais e agentes públicos cobrava propina milionária de empresários

Segundo apurado pelo Fantástico, da TV Globo, o suspeito de ser o chefe da organização criminosa é Clésio de Oliveira Filho, o delegado titular do 1º DP de Indaiatuba, que funcionava como o “Gabinete do Crime”. No local, os suspeitos investigados escolhiam as vítimas e acertavam o valor da propina.

Segundo um promotor da investigação, os policiais entravam no estabelecimento alvo, “invadiam sem mandado, sem ordem judicial nenhuma”, e acusavam os empresários de crimes.

Suspeitos tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça — Foto: Arte g1

Em seguida, as vítimas eram encaminhadas à delegacia, onde ocorria a extorsão. Elas foram ameaçadas com acusações forjadas e participaram de uma reunião acompanhada do advogado Hélio dos Santos Júnior.

Os empresários foram recebidos pelos policiais civis André da Silva e Carla Moreira, pelo guarda municipal Jackson da Silva e por Márcio Pereira Mendes, que nem era da polícia.

“Era a Márcio ‘treme-treme’ que conduzia, mas a pessoa que mais humilhava era a Carla. Era uma cara de deboche, uma cara de humilhação como se a gente fosse qualquer pessoa na frente dela. Autoridade em cima da gente”, disse uma das vítimas em depoimento.

  1. José Clésio Silva de Oliveira Filho, delegado da Polícia Civil
  2. André Luis Soares da Silva, investigador da Polícia Civil
  3. Carla Cristina de Souza Moreira, investigadora da Polícia Civil
  4. Márcio Matoso, escrivão da Polícia Civil
  5. Helio Ercínio dos Santos Júnior, advogado
  6. Rubens Groff Filho, advogado
  7. Marcelo Eduardo Freire Savioli, advogado
  8. Jackson Luiz da Silva, guarda municipal de Indaiatuba
  9. Afonso Lucas Trindade Fernandes (vulgo Talinho), guarda municipal de Indaiatuba
  10. Fábio Augusto Moraes (pastor), assessor comissionado da Secretaria de Assistência Social
  11. Rafaela Toledo de Almeida, assessora comissionada da Secretaria de Assistência Social
  12. José Abel Von Ah, fiscal da Prefeitura de Indaiatuba (alvo apenas de mandado de busca e apreensão)
  13. Taylor Silva Angélico, 33 anos, gerente administrativo
  14. Márcio Ricardo Pereira Mendes, auxiliar de escritório

A Prefeitura de Indaiatuba afirmou que abriu procedimento administrativo e afastou os envolvidos. No caso dos comissionados, o município afirmou que eles foram exonerados no dia 28 de março.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

jovem-e-preso-apos-tentar-matar-primo-e-esfaquear-a-mae-no-litoral-de-sp

G1 Santos

Jovem é preso após tentar matar primo e esfaquear a mãe no litoral de SP

Homem, de 20 anos, foi condenado pela Vara da Infância e Juventude enquanto era menor de idade e, desde então, era procurado. Imagem ilustrativa de ameaça com faca — Foto: Reprodução/Pixabay Um jovem, de 20 anos, foi capturado pela Polícia Civil três anos após tentar matar o primo e esfaquear a mãe em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo apurado pelo g1, ele foi encaminhado para a Fundação […]

today2 de abril de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%