G1 Mundo

França começará a retirada militar do Níger com a saída de 400 soldados

today6 de outubro de 2023 3

Fundo
share close

A junta do Níger informou na noite de quinta-feira que 400 soldados franceses baseados na cidade de Ouallam, no sudoeste do país, serão os primeiros a deixar o país, em uma retirada que está causando um novo golpe para a influência da França na conturbada região do Sahel.

A saída das forças francesas do Níger foi uma das principais exigências dos oficiais militares que tomaram o poder em julho .

Houve uma série de golpes de Estado recentes na região Sahel, na África, onde diversos países enfrentam insurgentes ligados à Al Qaeda e ao Estado Islâmico.



Inicialmente, a França resistiu, recusando-se a aceitar a legitimidade da junta. Mas, no mês passado, o presidente francês, Emmanuel Macron, decidiu encerrar a cooperação militar com o Níger e retirar todos os 1.500 soldados franceses do país, deixando uma lacuna nos esforços ocidentais para combater a insurgência.

Cidade na linha de frente na crise de segurança

A cidade de Ouallam está na linha de frente da crise de segurança do Níger e abriga milhares de pessoas deslocadas de aldeias vizinhas após anos de ataques de grupos armados.

“Os 400 soldados franceses baseados em Ouallam serão os primeiros a fazer as malas e partir”, disse a junta em uma declaração lida na rádio nacional.

A junta também disse que uma base aérea na capital Niamey, onde a maioria dos soldados franceses está estacionada, seria desmontada até o final do ano.

Não houve nenhum comentário imediato da França, cuja influência sobre suas ex-colônias africanas diminuiu nos últimos três anos, uma vez que os líderes golpistas de Mali, Burkina Faso e Níger cortaram os laços em meio a uma onda de sentimento antifrancês.

A França disse na quinta-feira que a retirada do Níger começará nesta semana e será concluída até o final do ano, mas não forneceu mais detalhes.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

com-brasil-presidindo,-conselho-de-seguranca-da-onu-nao-deve-debater-guerra-na-ucrania

G1 Mundo

Com Brasil presidindo, Conselho de Segurança da ONU não deve debater guerra na Ucrânia

A guerra na Ucrânia começou em fevereiro do ano passado, quando tropas russas invadiram territórios ucranianos por determinação de Vladimir Putin. Desde então, diversos fóruns internacionais têm discutido a guerra e convidado o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky a discursar. Ao longo de todo esse ano, porém, o presidente Lula defendeu que o fórum adequado para discutir o assunto era o Conselho de Segurança da ONU, não o G7 nem o […]

today6 de outubro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%