G1 Mundo

Governo brasileiro se mostrou lento para criticar Maduro

today27 de março de 2024 10

Fundo
share close

Resta saber qual será a extensão desta repreensão de Lula a Maduro, que demonstra desprezo pela atuação do Brasil.

A nota do Brasil sequer cita as perseguições a críticos do regime e mais de 30 prisões de opositores, que escalaram desde o início do ano, sob a alegação, sem provas, de participarem de cinco supostos complôs para derrubar o regime ou assassinar Maduro. Quando o governo brasileiro se manifestou, o processo eleitoral caótico já estava dominado pelo regime.

Maduro repete sempre a ladainha de que na Venezuela haverá eleições “com sol, chuva ou relâmpagos”, mas copia os modelos de Nicarágua e Rússia, afastando seus concorrentes do pleito.



Os candidatos que tiveram permissão para inscrever-se no Conselho Nacional Eleitoral não representam qualquer desafio ao comandante do país, que, segundo as pesquisas independentes, tem apenas 20% das intenções de voto.

O controle do governo e a sua interferência embolou o processo eleitoral e, como em outros pleitos, causou fricções entre a oposição.

A entrada do candidato opositor Manuel Rosales, na última hora, gerou desconfiança. Criticado por adversários de pactuar com o regime, ele alegou que só se inscreveu porque a professora Corina Yoris, apontada como substituta de María Corina Machado, não conseguiu efetuar sua candidatura e os opositores de Maduro não poderiam ficar sem espaço.

“Não venho substituir ninguém, não venho tirar a liderança de ninguém, não venho separar ninguém, venho de braços abertos para reconstruir a Venezuela”, justificou.

Após o encerramento do prazo, o órgão eleitoral aceitou a inscrição de um “candidato-tampão” da Plataforma Unitária Democrática, que reúne dez partidos de oposição. Em vez de Yoris, entrou o também desconhecido Edmundo González Urrutia, ex-embaixador da Venezuela na Argentina.

Nesse ambiente turbulento, a esperança da coalizão liderada por María Corina Machado é tentar substituir o candidato por outro, já em abril ou até dez dias antes das eleições, conforme prevê a legislação eleitoral. Mas, como tudo na Venezuela, a lei está sob o comando de Maduro.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ponte-colapsada-nos-eua:-investigadores-recuperam-caixa-preta-do-navio-e-vao-investigar-combustivel-improprio

G1 Mundo

Ponte colapsada nos EUA: investigadores recuperam caixa-preta do navio e vão investigar combustível impróprio

A batida provocou o colapso total da ponte (veja vídeo acima). Durante esta madrugada, os mergulhadores que também buscavam por sobreviventes encontraram o gravador de dados da embarcação, segundo a diretora-geral do Conselho Nacional de Segurança dos Transportes dos EUA (NTSB, na sigla em inglês), Jennifer Homendy. A partir desta quarta, o NTSB, que comanda as investigações, analisará os dados. Homendy afirmou também que as equipes vão apurar se o […]

today27 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%