G1 Mundo

Governo dos EUA diz que não está buscando guerra com o Irã, mas que vai retaliar ataque que deixou três soldados americanos mortos

today30 de janeiro de 2024 2

Fundo
share close

Foi John Kirby, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, que disse que os EUA não buscam guerra. Ele também disse que o ataque no qual os soldados ficaram mortos foi uma escalada, e que exige uma resposta.

Kirby afirmou que o presidente americano Joe Biden responderá ao ataque do Irã, e que essa resposta ocorrerá de maneira “racional”.

“Sabemos que (o ataque) foi realizado por grupos combatentes radicais apoiados pelo Irã que operam na Síria e no Iraque”, disse Biden no domingo (28). Além disso, o presidente dos EUA prometeu que fará com que “todos os responsáveis prestem contas, quando e como considerarmos conveniente”.



Segundo a agência de notícias AFP, a Casa Branca ainda está na fase de reunir provas e avaliar o acontecido.

Embora as mortes tenham provocado temores de uma escalada do conflito no Oriente Médio, o porta-voz da Casa Branca disse que o governo dos EUA não está interessado em uma extensão bélica na região.

Ataque com drone mata três soldados americanos na fronteira entre Jordânia e Síria

Ataque com drone mata três soldados americanos na fronteira entre Jordânia e Síria

Quando negou vínculo com o ataque, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Naser Kanaani, descreveu as acusações como infundadas.

“A República Islâmica do Irã não vê com bons olhos a expansão do conflito na região”, disse Kanaani em um comunicado no domingo (28). Ele também disse que o governo do país “não está envolvido nas decisões dos grupos de resistência”.

Até agora, ninguém reivindicou o ataque, embora, no domingo (28), a chamada Resistência Islâmica no Iraque tenha afirmado que lançou três ataques com drones contra bases na Síria, inclusive perto da fronteira com a Jordânia.

Crise se espalha pelo Oriente Médio: entenda como os conflitos estão ligados entre si

Crise se espalha pelo Oriente Médio: entenda como os conflitos estão ligados entre si

O Comando Central (Centcom) americano informou no domingo que um ataque atingiu uma base de apoio logístico localizada na Torre 22, no nordeste da Jordânia, e feriu ao menos 34 membros do serviço – oito deles precisaram ser retirados do país.

A base tem quase 350 integrantes do Exército e da Força Aérea americana que realizam “uma série de funções cruciais de apoio”, entre outras, para a coalizão internacional contra o grupo extremista Estado Islâmico.

Segundo a Defesa dos EUA, as forças do país e seus aliados no Iraque e na Síria foram alvos de mais de 150 ataques desde meados de outubro. Trata-se de uma repercussão direta do conflito na Faixa de Gaza entre Israel, aliado dos americanos, e Hamas, apoiado pelo Irã.

O porta-voz do governo jordaniano, Muhanad Mubaidin, disse que “o ataque terrorista teve como objetivo uma posição avançada na fronteira com a Síria”, e que seria um golpe às tropas americanas “que cooperam com a Jordânia para enfrentar o terrorismo e assegurar a fronteira”.

Os governos do Bahrein e Egito também condenaram o ataque.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

EUA voltarão a impor sanções à Venezuela se não houver reversão de decisão judicial que impede principal candidata de oposição de concorrer

Os Estados Unidos vão voltar a aplicar sanções contra a Venezuela caso a Justiça mantenha uma proibição que impede a candidata presidencial Maria Corina Machado de ocupar o cargo, disse um representante do governo americano. As informações são das agências de notícias Reuters e Bloomberg. Os EUA não vão prorrogar a licença para que a Venezuela exporte petróleo em abril caso o governo venezuelano proíba candidatos à presidência de concorrer neste ano. Os americanos também estão pensando em impor novas […]

today30 de janeiro de 2024 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%