G1 Santos

Grupo protesta contra a implantação de pedágios em rodovia no litoral de SP

today7 de setembro de 2023 8

Fundo
share close

A privatização da rodovia, apresentada pela Artesp, em 2019, contempla melhorias na estrada e a instalação de postos de pedágio ao longo da rodovia. A concessão da rodovia faz parte do Lote Rodovias do Litoral Paulista e inclui a extensão que vai de Praia Grande a Miracatu, no Vale do Ribeira. As rodovias SP-98 (Mogi-Bertioga) e a SP-88 (Pedro Eroles) também estão incluídas no Lote.

Os manifestadores disseram que a implantação dos pedágios deve encarecer o custo de vida dos moradores em geral, uma vez que o transporte de alimentos, por exemplo, teria que pagar para acessar o município.

“As pessoas vão gastar mais. As entradas e saídas da cidade vão ser reduzidas. As pessoas serão obrigadas a pagar para circular dentro da própria cidade, e não concordamos que elas tenham mais custos com isso”, disse uma das participantes do protesto.



Pedágio ficará localizado na Padre Manoel da Nóbrega, na altura de Itanhaém — Foto: Divulgação/Câmara dos Vereadores de Itanhaém

Segundo a Artesp, as sugestões e contribuições da Consulta Pública sobre o projeto de parceria público-privada (PPP) serão aceitas até o dia 12 de setembro, após a ampliação do prazo.

Em nota, foi indicado que, para acessar os documentos, basta ir ao site da Artesp (clique aqui), clicando depois em ‘Transparência’ e escolhendo ‘Audiências e Consultas Públicas’.

“A prorrogação ocorre para ampliar a oportunidade de participação da sociedade ao chamamento público, com objetivo de obter o maior número de contribuições para que a concessão ofereça uma prestação de serviço de qualidade para a população”, informou a Artesp, em nota.

Itanhaém e Praia Grande se manifestaram contra

Na ocasião, a Prefeitura de Itanhaém, que solicitou ao governo estadual a realização de uma audiência presencial no município, propôs a suspensão do edital de privatização durante o evento.

Para o executivo, a instalação dos postos de pedágios e a ausência de vias marginais ininterruptas interligando as extremidades da cidade são os principais pontos de discordância do projeto. A administração ressaltou que a falta de pontes sobre o Rio Itanhaém, margeando a rodovia, ampliará a circulação interna, impactando negativamente o trânsito local.

A prefeitura disse, ainda, que as ruas estreitas e a infraestrutura da década de 1970 não estariam preparadas para o aumento desse fluxo de veículos e que o fechamento de acessos aos bairros pela rodovia proposto no projeto também preocupa a administração.

Por sua vez, a Prefeitura de Praia Grande foi representada pelo secretário adjunto de Planejamento, Juliano Fornazari, e pelo secretário de Transportes, Leandro Avelino, que oficialmente se manifestaram contra a ação.

Durante a audiência, eles entregaram à mesa diretora, composta pela equipe técnica da Artesp, um relatório com os impactos que a decisão pode causar na região e também um ofício com reivindicações de melhorias.

A principal crítica foi sobre a instalação dos postos de pedágios e à mobilidade urbana, uma vez que está previsto o fechamento parcial ou total de cinco acessos da cidade e o fechamento parcial de dois retornos.

De acordo com a prefeitura, a medida sobrecarregaria a malha viária, inclusive de vias internas, dificultaria o acesso aos bairros, e poderia até mesmo inviabilizar a implantação do BRT (sigla para Bus Rapid Transit) na Cidade.

Além disso, a Prefeitura de Praia Grande destacou que as tratativas do Estado com os municípios envolvidos não ocorreram como deveriam, e que o governo estadual deveria analisar melhor as dinâmicas de mobilidade da cidade antes de realizar intervenções.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

prefeitura-de-santos-abre-edital-para-criar-parcerias-com-projetos-dedicados-a-idosos

G1 Santos

Prefeitura de Santos abre edital para criar parcerias com projetos dedicados à idosos

A Prefeitura de Santos busca Organizações da Sociedade Civil (OSC) interessadas em estabelecer parcerias para desenvolver projetos destinados à população idosa. Os recursos serão do Fundo Municipal do Idoso (FMI), no valor total de R$ 1,5 milhão. Um edital de chamamento público do Termo de Fomento do Fundo Municipal do Idoso já foi publicado. Para participar, as OSCs precisam ter, entre outras qualificações, um ano de existência comprovada, objetivos alinhados […]

today7 de setembro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%