G1 Mundo

Helicóptero ultrapassado e dificuldade para repor peças: queda de aeronave com presidente do Irã expõe fragilidade da aviação local em meio a embargo dos EUA

today21 de maio de 2024 12

Fundo
share close

A queda joga luz sobre a fragilidade da aviação iraniana em meio a décadas de embargo pelos Estados Unidos —o que resulta em falta de acesso a aeronaves modernas e a peças de reposição.

O presidente Ebrahim Raisi voava em um helicóptero Bell 212. Segundo a emissora estatal IRNA, o helicóptero foi comprado no início dos anos 2000.

Trata-se de uma antiga aeronave americana que provavelmente já tinha décadas de uso (não se sabe o ano de fabricação). O Bell 212 é um helicóptero bimotor que fez o primeiro voo no final da década de 1960 e não é mais fabricado. Considerada ultrapassada atualmente, é uma versão civil de um helicóptero popular por ter sido muito usado na Guerra do Vietnã —mais de 50 anos atrás.



Atualmente, há 15 helicópteros Bell 212 com uma idade média de 35 anos registrados no Irã que podem estar em uso ativo ou em armazenamento, de acordo com a empresa de dados de aviação Cirium.

Helicóptero que caiu com presidente do Irã — Foto: Arte/g1

O Irã tem dificuldade para renovar sua frota aérea desde que os EUA impuseram sanções econômicas ao país, em 1979, quando líderes islâmicos xiitas fizeram uma revolução, derrubaram o governo civil e chegaram ao poder. As sanções foram gradativamente aumentando e, desde 1995, empresas dos EUA estão proibidas de vender aeronaves ou fazer manutenção para companhias iranianas. O embargo está relacionado ao apoio do Irã a grupos como o terrorista Hamas e ao Hezbollah, e ao programa nuclear iraniano.

Corpos de vítimas da queda de helicóptero que matou presidente do Irã são removidos

Corpos de vítimas da queda de helicóptero que matou presidente do Irã são removidos

Paulo Niccoli Ramirez, professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e da Casa do Saber, afirma que o país até chegou a viver um momento de possível mudança desse cenário: “Em 2015 foi firmado um acordo com os EUA, ainda no governo de Barack Obama, que era muito promissor para os iranianos. Havia previsão de uma abertura para o mercado internacional, empresas de telefonia móvel e industrialização. No entanto, com a chegada de Donald Trump ao poder nos EUA, isso se fechou”.

Segundo o centro de estudos Washington Institute for Near East Policy, durante os anos de relaxamento das sanções, o Irã encomendou mais de 200 aeronaves de países ocidentais. No entanto, apenas 16 foram entregues antes de Trump restabelecer as sanções.

Ali Vaez, diretor de projetos do Irã no International Crisis Group, disse que, embora as sanções dos EUA tenham privado o Irã da capacidade de renovar e reparar sua frota por décadas, “não se pode ignorar o erro humano e o papel do clima neste acidente em particular”.

O ex-ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, culpou os EUA pela queda justamente pelo embargo à compra de aviões e peças de reposição.

“Um dos principais culpados pela tragédia de ontem são os Estados Unidos, que embargaram a venda de aeronaves e peças de aviação para o Irã e não permitem que o povo do Irã desfrute de boas instalações de aviação”, disse Zarif à Associated Press.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, refutou a associação entre o acidente com as sanções econômicas ao Irã. “Os EUA não tiveram nenhum papel a desempenhar nesse acidente. Isso é um fato, puro e simples”, disse.

Como o Irã tenta fazer manutenção da frota

De acordo com a agência de notícias Associated Press, as aeronaves no Irã muitas vezes voam sem as devidas checagens de segurança.

O regime de Teerã passou a fazer engenharia reversa (ou seja, tentar copiar a tecnologia) e canibalismo: retira peças de uma aeronave para fazer a reposição em outros.

Richard Aboulafia, analista e consultor de aeroespacial, afirmou à AP que o Irã provavelmente está recorrendo ao mercado negro para obter peças para manter a frota, mas questionou se o país possui as habilidades de manutenção necessárias para manter helicópteros antigos voando com segurança.

“Peças do mercado negro e quaisquer capacidades locais de manutenção que eles possuam — isso não é uma boa combinação”, disse ele.

O número de acidentes aéreos no país

De acordo com o Birô do Arquivo de Acidentes Aéreos, entre 1979 e 2023 houve:

  • 253 quedas de aeronaves no Irã.
  • 3.335 mortes em acidentes aéreos.
  • O país tem 88 milhões de habitantes

Como comparação, no Brasil, os números são os seguintes:

  • 289 acidentes.
  • 1.871 mortes.
  • O Brasil, no entanto, tem uma população muito maior —de acordo com o último censo, são 204 milhões.

Morte do presidente Raisi

A morte do presidente iraniano, Ebrahim Raisi, foi confirmada pelo Ministério das Relações Exteriores do Irã nesta segunda-feira (20).

Presidente do Irã Ebrahim Raisi — Foto: REUTERS/Shannon Stapleton/File Photo

Presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morreu após helicóptero cair em área com baixa visualização perto da fronteira com o Azerbaijão, em 19 de maio de 2024. — Foto: arte/ g1

Buscas levaram cerca de 12 horas

A queda do helicóptero ocorreu por volta das 13h (no horário local, 6h no de Brasília), mas a aeronave só foi encontrada cerca de 12 horas depois.

Além das dificuldades de acesso ao local, o tempo ruim dificultava os trabalhos de resgate. O helicóptero foi avistado por integrantes do Crescente Vermelho iraniano, organização irmã da Cruz Vermelha que atua em países islâmicos, depois que um drone foi enviado pela Turquia com sensores de calor para identificar o local da queda.

Inicialmente, o ministro do Interior iraniano informou que o helicóptero que levava o presidente teria feito uma tentativa pouso forçado. Mais tarde, a imprensa oficial informou que a aeronave havia sofrido um acidente em razão das más condições climáticas.

Vídeo helicóptero do presidente do Irã após a queda

Vídeo helicóptero do presidente do Irã após a queda

Ebrahim Raisi foi eleito em 1º turno em 2021 para um mandato de quatro anos, numa eleição com abstenção recorde e da qual vários adversários foram impedidos de participar pelo Conselho de Guardiães da Constituição.

Entre os que haviam sido impedidos de participar da corrida eleitoral estavam o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad, o ex-presidente do Parlamento Ali Larijani, o atual vice-presidente Es-Hagh Jahanguiri e o reformista Mostafa Tajzadeh.

Na década de 1980, Raisi participou das chamadas comissões da morte, que levaram à execução de cerca de 5 mil militantes opositores que se voltaram contra o regime dos aiatolás. Em 2019, os Estados Unidos impuseram sanções a Raisi por conta da participação dele nas mortes.

Em 2022, já sob Raisi, o governo iraniano reagiu com violência à onda de protestos que pediam justiça por Mahsa Amini, uma jovem que morreu três dias após ser presa por não usar adequadamente o véu em local público (veja no vídeo abaixo). Mais de 500 manifestantes foram mortos nos protestos, segundo a Agência de Notícias de Ativistas de Direitos Humanos (Hrana).

Morte de jovem revolta iranianos: Mahsa Amini tinha sido detida por não se vestir corretamente

Morte de jovem revolta iranianos: Mahsa Amini tinha sido detida por não se vestir corretamente

Na ocasião, Raisi afirmou que o Irã deveria “lidar de forma decisiva com aqueles que se opõem à segurança e à tranquilidade do país”.

No plano internacional, o Irã viveu um escalada de tensão com Israel. Em 1º de abril, sete membros da Guarda Revolucionária Iraniana foram mortos num ataque à embaixada do Irã na Síria. Em resposta, em 13 de abril, o Irã lançou um ataque contra Israel, que retaliou em 18 de abril.

Quem é Ebrahim Raisi, presidente do Irã

Quem é Ebrahim Raisi, presidente do Irã




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

morte-de-presidente-do-ira-em-acidente-de-helicoptero:-funeral-comeca-nesta-terca-e-enterro-sera-na-quinta

G1 Mundo

Morte de presidente do Irã em acidente de helicóptero: funeral começa nesta terça e enterro será na quinta

O funeral do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, começa nesta terça (21) e seu corpo será velado durante três dias nas cidades de Tabriz, Qom, a capital Teerã e Birjand, segundo a mídia local. Ele será enterrado no Santuário do Imam Reza na cidade de Mashed na quinta-feira (23). O primeiro-vice-presidente do Irã, Mohammad Mokhber, assumiu a presidência de forma interina nesta segunda (20). Um concelho composto por Mokhber, o […]

today21 de maio de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%