G1 Santos

Homem morto pela Rota no litoral de SP era catador de recicláveis e implorou pela própria vida, diz família

today6 de fevereiro de 2024 5

Fundo
share close

Os familiares do catador de recicláveis José Marcos Nunes da Silva, de 45 anos, morto por policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) dentro do barraco onde vivia em São Vicente, no litoral de São Paulo, afirmaram que o parente foi assassinado e não tinha envolvimento com o crime. Eles disseram que vizinhos os contaram ter ouvido o homem implorando pela vida.

Diferente da versão apresentada pelos familiares, os policiais que estavam na ação, que resultou na morte do catador, na madrugada do último sábado (3), informaram que deram voz de parada a José Marcos, mas ele fugiu e entrou em um barraco — a casa dele — no bairro Jockey Club.

Ainda com base nos depoimentos dos agentes, eles disseram ter revidado a supostos disparos. O boletim de ocorrência foi registrado como resistência, porte ilegal de arma de fogo e drogas sem autorização.



Uma familiar, que preferiu não se identificar, contou ao g1 que uma conhecida ouviu três disparos por volta de 2h30. Um vizinho escutou José gritando “vocês vão matar um inocente! e “eu amo minhas filhas, minhas filhas me amam”. Depois disso, escutou um último disparo e mais nada.

O boletim de ocorrência aponta que os PMs encontraram uma mochila com substâncias parecidas com drogas e um caderno com anotações do tráfico. Eles correram para o barraco após os disparos, mas policiais teriam impedido o avanço para o interior.

Segundo a fonte ouvida pela equipe de reportagem, José era usuário de drogas e chegou a ser preso em 2010 pelo furto de pedaços de ferro. Familiares afirmam que o registro do boletim é mentiroso. “Muita gente conhecia ele, muita gente sabia que ele não fazia nada disso”, afirmou.

Conforme o relato, os policiais ainda intimidaram outros moradores da comunidade. O corpo teria sido deixado dentro do barraco por cerca de uma hora antes de ser levado para o Pronto-Socorro de São Vicente e reconhecido por familiares.

Quando a família conseguiu acessar o barraco, já no sábado à tarde, encontrou um lençol ensanguentado no chão da sala de José. Nascido no Rio Grande do Norte, ele deixou três filhas e cinco netos.

Em nota, a Prefeitura de São Vicente informou que o Serviço de Atendimento Movél (Samu) foi acionado para atender a ocorrência, na Avenida Sambaiatuba, na madrugada de sábado (3).

A administração municipal disse, ainda, que os profissionais de saúde encontraram José Marcos com ferimentos de arma de fogo pelo corpo. A equipe do Samu prestou os primeiros atendimentos e o conduziu ao Pronto-Socorro Central em parada cardiorrespiratória, mas ele já chegou morto.

O g1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) após ouvir os relatos, mas ainda não obteve retorno.

Além do passageiro morto no bairro Jóquei Club, segundo a SSP, já foram registradas seis mortes em confrontos com a polícia durante a operação na Baixada Santista.

No último fim de semana, foram três mortes na Vila dos Criadores e um no bairro São Jorge, em Santos. Uma pessoa também morreu no Morro do São Bento e no bairro Bom Retiro, também na cidade. Cinco pessoas foram presas.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

dupla-e-detida-por-comandar-esquema-de-‘disk-drogas’-no-litoral-de-sp;-video

G1 Santos

Dupla é detida por comandar esquema de ‘disk drogas’ no litoral de SP; VÍDEO

Duas mulheres, de 19 e 23 anos, foram detidas suspeitas de traficar entorpecentes por meio de um 'disk drogas', em Santos, no litoral de São Paulo. As imagens, obtidas pelo g1 nesta terça-feira (6), mostram como a dupla atuava (assista acima). Elas foram soltas e responderão pelo crime em liberdade. De acordo com a Polícia Civil, elas vendiam haxixe e skunk. As vendas aconteciam por meio das redes sociais e […]

today6 de fevereiro de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%