G1 Mundo

Irã diz à ONU que tem direito de revidar ataque de Israel à embaixada na Síria que matou comandantes da Guarda Revolucionária

today2 de abril de 2024 7

Fundo
share close

Em comunicado ao Conselho de Segurança, a missão permanente do Irã na ONU repreendeu o ataque israelense que chamou de terrorista e disse que foi uma “flagrante violação das normas e dos princípios fundamentais do direito internacional” e da inviolabilidade das instalações diplomáticas e consulares.

Além disso, o país disse que “se reserva seu legítimo e inerente direito sob a lei internacional e a Carta das Nações Unidas a tomar uma resposta decisiva” ao ataque.

Segundo o Irã, o ataque israelense matou sete membros da Guarda Revolucionária iraniana, entre eles três comandantes: Mohammad Reza Zahedi, Mohammad Hadi Haji Rahimi e um comandante sênior não identificado. (Leia mais sobre o ataque abaixo)



O Irã solicitou uma reunião de urgência do Conselho de Segurança para discutir o ataque de Israel e exigiu que o organismo condene a agressão “nos termos mais fortes possíveis”.

Fumaça perto de edifícios diplomáticos do Irã em Damasco, na Síria, em 1º de abril de 2024 — Foto: Firas Makdesi/Reuters

No comunicado, o país ainda avisou que o ataque representa uma ameaça à paz e à segurança regional, podendo “exacerbar as tensões na região e potencialmente desencadear mais conflitos envolvendo outras nações”.

O Conselho de Segurança da ONU ainda não se manifestou sobre o comunicado do Irã e não se sabe se haverá um encontro emergencial do Conselho para discutir a questão.

O g1 entrou em contato com as Nações Unidas para confirmar o recebimento do documento, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

Aviões militares de Israel atingiram o consulado do Irã em Damasco, na Síria, nesta segunda-feira (1º) e mataram sete membros da Guarda Revolucionária Iraniana, entre eles Mohammad Reza Zahedi, comandante sênior da organização.

Hossein Akbari, o embaixador do Irã na Síria, afirmou que o consulado foi atingido por seis mísseis disparados de caças F-35. Akbari, que morava em um anexo da embaixada e teve sua casa atingida, escapou ileso e afirmou que a resposta do Irã será dura.

O comandante das forças terrestres da Guarda Revolucionária do Irã, Mohammad Reza Zahedi, em imagem de arquivo. — Foto: Reprodução/ Redes sociais

O governo iraniano responsabilizou Israel pelas consequências do ataque ao consulado na capital da Síria, disse o ministro de Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, segundo a mídia estatal iraniana. A afirmação foi dada em um telefonema entre Hossein e o ministro de Relações Exteriores da Síria.

Um porta-voz militar de Israel disse que não vai fazer comentários sobre notícias na mídia estrangeira. O jornal americano “The New York Times” afirmou que conversou com quatro autoridades de Israel que pediram para não serem nomeadas e confirmaram que o país realmente executou o ataque, mas não confirmaram que o comandante Reza Zahedi foi morto.

O canal de TV estatal da Síria confirmou que o prédio do consulado foi atacado. A mídia do Irã também noticiou que um prédio perto da embaixada foi atingido, e a agência de notícias dos estudantes iranianos afirmou que os alvos eram o consulado e a residência do embaixador.

O site oficial do aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, afirma que o general Mohammad Reza Zahedi foi nomeado comandante das forças terrestres da Guarda Revolucionária do Irã em 21 de janeiro de 2006.

De acordo com o “New York Times”, ele era o responsável pelas operações secretas do Irã na Síria e também no Líbano.

O grupo terrorista Hamas, que atua na Faixa de Gaza, é apoiado pelo Irã. Desde que o Hamas atacou Israel, em 7 de outubro, os israelenses aumentaram os ataques contra alvos ligados a dois grupos que são atuantes em território sírio:

  • O grupo libanês Hezbollah.
  • As Guardas Revolucionárias do Irã.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

quatro-estrangeiros-de-ong-que-leva-comida-a-faixa-de-gaza-morrem-em-ataque-no-territorio

G1 Mundo

Quatro estrangeiros de ONG que leva comida à Faixa de Gaza morrem em ataque no território

As forças militares israelenses afirmaram que estão analisando o que aconteceu "para compreender as circunstâncias desse trágido incidente". Sabe-se que entre os quatro estrangeiros mortos há um cidadão do Reino Unido, um da Austrália e um da Polônia. Ainda não se sabe a nacionalidade do quarto estrangeiro morto. A World Central Kitchen afirmou na rede social X (o antigo Twitter) que está ciente das notícias, mas não fez mais comentários. […]

today2 de abril de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%