G1 Mundo

Iraniana ganhadora do Nobel da Paz deste ano faz greve de fome na cadeia; por não usar véu, ela foi proibida de ir ao hospital

today6 de novembro de 2023 7

Fundo
share close

O comitê organizador do Nobel afirmou que está muito preocupado com o caso.

Narges venceu o Nobel no dia 6 de outubro. O prêmio foi considerado uma crítica do comitê organizador ao regime político do Irã. O governo iraniano criticou os organizadores de tentar interferir em questões internas e politizar o tema dos direitos humanos.

Segundo a agência Hrana, as autoridades do Irã proibiu Narges de ir ao hospital para um tratamento cardíaco porque ela se recusou a usar o véu islâmico. A agência não diz quem são as fontes da história.



A Justiça do Irã não falou nada sobre o caso.

Nobel da Paz 2023 vai para iraniana Narges Mohammadi

Nobel da Paz 2023 vai para iraniana Narges Mohammadi

Nos dias 29 e 30 de outubro, Narges e um algumas mulheres detidas na prisão de Evin, no Irã, protestaram as autoridades do sistema carceário porque a ativista foi proibida de ir ao hospital para tratamento, de acordo com um comunicado da família dela enviado à Reuters.

“Ela está disposta a arriscar sua vida ao não usar o ‘hijab forçado’, mesmo para tratamento médico”, diz o comunicado de 1º de novembro, escrito antes do anúncio da greve de fome.

Esta é a terceira vez que Narges cumpre pena na prisão de Evin desde 2012.

A pena atual dela é de de 12 anos de prisão, sob acusações de propaganda contra a República Islâmica.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

policia-francesa-investiga-se-mulher-esfaqueada-em-lyon-mentiu-sobre-ataque-antissemita

G1 Mundo

Polícia francesa investiga se mulher esfaqueada em Lyon mentiu sobre ataque antissemita

"As investigações continuam sobre o caso de tentativa de homicídio. Nenhuma hipótese de investigação foi descartada até o momento", confirmou o escritório do promotor público de Lyon a um jornal local. A vítima, de 30 anos, de família judaica, teria sido esfaqueada na barriga em sua casa, no 3º distrito de Lyon, no sudeste da França. A mulher teve alta do hospital no domingo (5), segundo informações da AFP. O advogado, Stéphane […]

today6 de novembro de 2023 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%