G1 Mundo

Juiz canadense decide que é legal mostrar o dedo médio: ‘Direito dado por Deus’

today10 de março de 2023 18

Fundo
share close

Em sua decisão, o juiz Dennis Galiatsatos afirma que não apenas o réu Neall Epstein não era culpado, mas que o fato de ele ter sido preso e processado era uma injustiça desconcertante.

“Para ser bem claro, não é crime mostrar o dedo a alguém”, escreveu o juiz em sua decisão de 24 de fevereiro. “É um direito dado por Deus e consagrado na Constituição que pertence a todo canadense de sangue quente. Pode não ser civil, pode não ser educado, pode não ser cavalheiresco. No entanto, não gera responsabilidade criminal .”

A polícia prendeu Epstein, um professor de 45 anos, em 18 de maio de 2021, quando ele voltava para casa de uma caminhada. Ele encontrou um vizinho – Michael Naccache – que morava na mesma rua e com quem havia tido conflitos anteriores.



Naccache, de 34 anos, xingou Epstein e o ameaçou enquanto segurava uma ferramenta elétrica “de maneira ameaçadora”, concluiu o juiz. Epstein respondeu com dois dedos do meio e continuou andando.

Escultura ‘L.O.V.E.’, que representa dedo em riste, é exposta em Milão, em foto de 2016. — Foto: Reuters

Segundo a agência Canadian Press, Naccache alegou que Epstein também fez um gesto de cortar a garganta e disse temer que Epstein voltasse e tentasse matá-lo, — alegações que o juiz não aceitou.

“Com base em que ele temia que o Sr. Epstein fosse um assassino em potencial? O fato de ele sair para caminhadas com seus filhos? Se esse for o padrão todos precisariam temer que os vizinhos fossem assassinos à espreita”, escreveu Galiatsatos.

O incidente foi o mais grave de uma série de interações entre os dois homens e membros de suas famílias. Naccache alegou que essas interações resultaram em meses de assédio, mas o juiz considerou-as um comportamento inocente.

“Para os queixosos, a presença de jovens famílias ficarem ao ar livre é uma fonte de desprezo e vívido ressentimento que acabou se transformando em uma queixa criminal contra o vizinho”, escreveu o juiz, descrevendo Epstein como um “pai atencioso de duas filhas pequenas que não cometeram qualquer crime.”

Mulher segura cartaz com mão mostrando dedo médio em protesto contra o governo, na Polônia, em 2020 — Foto: AFP

Ele chamou de “deplorável” que os queixosos “usassem o sistema de justiça criminal na tentativa de se vingar de um homem inocente”.

Naccache disse que achava que Epstein regularmente filmava ele e sua família. Na realidade, concluiu o juiz, foi Naccache quem filmou Epstein e outros vizinhos com câmeras montadas do lado de fora da casa em que ele morava com seus pais e irmão. Ele também tinha câmeras em sua motocicleta e nos carros de seus pais.

Em um dos incidentes entre as famílias vizinhas, o vídeo apresentado como prova mostra a mãe de Naccache, Martine Naccache, dirigindo perigosamente perto de crianças da vizinhança, escreveu o juiz. Cerca de uma hora depois, o pai de Naccache, Frank Naccache, “deliberadamente e maldosamente” faz o mesmo, diz a decisão, levando a um confronto com vários pais da vizinhança, incluindo Epstein.

Manifestante palestino mostra o dedo médio a soldados israelenses em foto de 2020 — Foto: Hazem Bader/AFP

Epstein testemunhou que durante aquele episódio, Frank Naccache ameaçou bater intencionalmente nas crianças com seu carro. Michael Naccache alegou no tribunal que Epstein agrediu seus pais durante o confronto, mas as evidências em vídeo mostraram o irmão de Naccache, Ari Naccache, empurrando Epstein, que então se afastou, no que o juiz chamou de “notável exercício de contenção”.

Galiatsatos escreveu que Martine e Frank Naccache deveriam se considerar sortudos por não terem sido multados por direção imprudente. Ele acrescentou que os dois irmãos Naccache tiveram sorte de não terem sido acusados de agressão ou ameaças.

“Nas circunstâncias específicas deste caso, o Tribunal está inclinado a realmente pegar o arquivo e jogá-lo pela janela, que é a única maneira de expressar adequadamente minha perplexidade com o fato de que o Sr. Epstein foi submetido a uma prisão e um abuso de ação penal”, concluiu o juiz.

Mulher mostra o dedo médio e as nádegas a policiais durante protesto antirracista em 2020, em Los Angeles — Foto: AFP/Apu Gomes




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

brasil-convida-paraguai-e-uruguai-a-integrarem-g20-de-forma-temporaria,-anuncia-itamaraty

G1 Mundo

Brasil convida Paraguai e Uruguai a integrarem G20 de forma temporária, anuncia Itamaraty

O grupo reúne as 20 maiores economias do mundo, e o Brasil voltará a presidi-lo a partir de dezembro deste ano – o país já comandou o G20 em 2008. A presidência do grupo é rotativa, ou seja, cada país integrante comanda o G20 por um determinado período (a presidência do Brasil vai de dezembro deste ano a novembro de 2024). "No espírito de promover perspectiva mais representativa dos países […]

today10 de março de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%