G1 Santos

Justiça determina retirada de outdoors de presidente do PL em Guarujá; entenda

today6 de abril de 2024 10

Fundo
share close

O vereador Ronald Luiz Nicolaci Fincatti, presidente do Partido Liberal (PL) em Guarujá, no litoral de São Paulo, e o próprio partido deverão recolher ao menos 15 outdoors espalhados pela cidade com a imagem do parlamentar. O g1 apurou, neste sábado (6), que a Justiça Eleitoral do município considerou que houve propaganda eleitoral antecipada. Cabe recurso da decisão.

O primeiro turno das eleições municipais de 2024 está marcado para 6 de outubro, sendo que a propaganda eleitoral oficial começa em 16 de agosto (veja mais adiante).

A decisão provisória, em caráter de urgência, ocorre após a direção municipal do Partido Novo em Guarujá apresentar uma representação à Justiça Eleitoral de Guarujá.



Conforme o processo disponível no site do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), o Novo alegou na petição inicial que o vereador veiculou outdoors em algumas das principais vias públicas da cidade, incluindo a Avenida Puglise.

Outdoor instalado na cidade de Guarujá (SP) — Foto: Luiz Morais

Com base nas imagens juntadas aos autos, o juiz eleitoral Alexandre das Neves avaliou que houve irregularidade na conduta. Ele concedeu a liminar na última quarta-feira (3) e deu 48 horas para a retirada dos outdoors a partir da citação. Nesta sexta-feira, majorou a multa diária em caso de descumprimento de R$ 1 mil para R$ 5 mil.

“O artigo 17 da Resolução TSE nº 23.608/2019 exige prova de autoria ou prévio conhecimento do beneficiário da propaganda, o que está presente neste procedimento, haja vista que as circunstâncias e as peculiaridades do caso concreto revelam a impossibilidade de o beneficiário não ter tido conhecimento do outdoor”, disse o magistrado.

Segundo Andressa Coelho, advogada do Partido Novo, quando a equipe entrou com a ação haviam dois painéis em papel, cada um medindo quatro metros de altura por nove de largura, e outros três em led pela cidade.

“Além de ser campanha antecipada, o tamanho dos outdoors possuía dezoito vezes mais do que o tamanho possível para uma campanha partidária. Então não se trata apenas de ser uma campanha antecipada e sim também o tamanho exorbitante desta campanha antecipada”, explicou.

Na madrugada seguinte ao ingresso da ação foram instalados outros quatro novos painéis com as mesmas medidas. Os advogados do Novo realizaram o aditamento da petição inicial para incluir novos outdoors no processo.

Propaganda eleitoral antecipada

Com uso de meios publicitários permitidos na lei, a propaganda eleitoral divulga o currículo dos candidatos, propostas e mensagens no período da “campanha eleitoral”.

Esse tipo de propaganda pode ser veiculado a partir de 16 de agosto do ano da eleição. Não é permitido nenhum tipo de propaganda política paga em rádio e televisão.

A propaganda antecipada passível de multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil é aquela divulgada fora do período permitido. A mensagem também deve conter pedido explícito ou subentendido de voto ou veicular conteúdo eleitoral em local vedado ou por meio, forma ou instrumento não permitido no período de campanha.

O g1 entrou em contato o Partido Liberal, mas ainda não obteve retorno com um posicionamento sobre o processo. A equipe de reportagem também tentou localizar a defesa do vereador, mas não teve sucesso.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

estado-indenizara-aluna-transgenero-apos-ofensas-a-comunidade-lgbtqia+-feitas-por-um-professor

G1 Santos

Estado indenizará aluna transgênero após ofensas à comunidade LGBTQIA+ feitas por um professor

A Justiça de Guarujá, no litoral paulista, condenou o estado de São Paulo a indenizar uma aluna transgênero em R$ 8 mil após ofensas à comunidade LGBTQIA+ feitas por um professor em sala de aula. Segundo o Tribunal de Justiça (TJ-SP), o docente disse que mulheres trans que utilizam banheiros femininos seriam potenciais praticantes de estupro. Cabe recurso a decisão. A fala do professor ocorreu, de acordo com a sentença, […]

today6 de abril de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%