G1 Mundo

Justiça do Maine recoloca Trump na disputa à Presidência no estado; decisão vale até que Suprema Corte discuta caso

today17 de janeiro de 2024 8

Fundo
share close

Trump foi proibido de participar das eleições presidenciais em dois estados dos EUA:

  • Estado do Colorado, onde houve uma decisão judicial sobre o caso, e
  • Maine, onde a secretária de Estado decidiu impedir Trump de participar das eleições.

No Maine, o caso foi para a Justiça depois da decisão da secretária de Estado, Shanna Bellows, que é do Partido Democrata, o rival do Partido Republicano, ao qual Trump pertence.



De acordo com o jornal “The New York Times”, a Justiça do Maine deu ordem para que Bellows suspenda sua decisão (ou seja, não colocá-la em prática, o que significa permitir a participação de Trump) até que a Suprema Corte diga o que se fazer.

Suprema Corte vai tomar decisão sobre insurreição

Além desses dois casos, há outros processos semelhantes em outros estados dos EUA. O processo das eleições nos EUA tem suas particularidades, e uma delas é que os estados têm muita autonomia para tomar decisões sobre as regras eleitorais de cada local.

Nos processos, pede-se que Trump seja impedido de concorrer pelo mesmo motivo: as tentativas de reverter os resultados das eleições de 2020, que ele perdeu para Joe Biden. O último ato da tentativa de Trump de fraudar as eleições foi a invasão do Capitólio (prédio do Congresso dos EUA). Um artigo na Constituição afirma que os ex-dirigentes que se envolveram em uma tentativa de insurreição devem ser impedidos de concorrer a cargos.

A Suprema Corte do país vai analisar o caso. As partes começarão a ser ouvidas no dia 8 de fevereiro (as primárias no Maine estão marcadas para o dia 5 de março). A defesa de Trump afirma que essa cláusula não é válida para para ex-presidentes, como ele.

A juíza Michaela Murphy, do Maine, determinou que a secretária de Estado terá 30 dias depois da decisão da Suprema Corte para reavaliar sua decisão. A magistrada afirmou que o fato de um processo semelhante ter sido admitido na Suprema Corte muda como a questão deve ser decidida e em qual instância da Justiça.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

cesar-suarez,-promotor-que-investigava-ataque-a-canal-de-tv-no-equador,-e-assassinado,-diz-ministerio-publico

G1 Mundo

César Suárez, promotor que investigava ataque a canal de TV no Equador, é assassinado, diz Ministério Público

César Suárez, um promotor especializado em crime organizado do Equador que investigava a invasão de homens armados ao canal de televisão TC, em 9 de janeiro, foi assassinado nesta quarta-feira (17) na cidade de Guayaquil, segundo o Ministério Público do país. Suárez tinha sido encarregado de determinar qual grupo criminoso esteve por trás da invasão do canal em plena transmissão ao vivo de um programa. A procuradora-geral do país, Diana […]

today17 de janeiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%