G1 Santos

Justiça nega pedido da Polícia Civil para usar carro de luxo da ‘Japa do Crime’; entenda

today8 de abril de 2024 2

Fundo
share close

A decisão é da 2ª Vara de Crimes Tributários, Organização Criminosa e Lavagem de Bens e Valores de São Paulo. No documento, o juiz Guilherme Eduardo Martins Kellner concordou com a manifestação do Ministério Público do estado (MP-SP) sobre a não permissão para a utilização do carro pela Polícia Civil.

O magistrado citou que, embora possível, o uso do veículo apreendido para o desempenho das atividades policiais não é das alternativas a que “melhor atenda ao interesse público”.

O juiz acrescentou que o carro da ‘Japa’, por ser de luxo e “chamar mais a atenção”, deixa ser a melhor opção para o uso como viatura descaracterizada.



Além disso, Kellner citou que “não parece ser apropriada” a utilização de um veículo de alto valor “voltado ao mero transporte dos agentes de segurança pública”.

Por fim, o magistrado considerou ser mais apropriada aalienação antecipada” [venda de bens frutos de apreensões] do carro antes do término da ação penal. Assim, o valor ficaria depositado em conta vinculada ao juízo até a decisão final do processo e, no caso absolvição, será devolvido à acusada.

Apartamento de luxo da ‘Japa’

Veja closet da 'Japa do crime' no apartamento onde ela foi presa

Veja closet da ‘Japa do crime’ no apartamento onde ela foi presa

O apartamento fica no bairro Tatuapé, na capital paulista. Além da residência em que ela morava, a Polícia Civil cumpriu mandados de busca em uma casa em Bertioga (SP) e um escritório virtual, que seria utilizado para fazer os acordos de lavagem de dinheiro.

Conforme apurado pelo g1, a ‘Japa do Crime’ é formada em enfermagem, embora trabalhasse ultimamente como empresária no ramo de beleza.

Conhecida como ‘Japa do crime’, Karen tem um closet repleto de peças — Foto: g1 Santos

Nas imagens do apartamento, é possível ver um closet repleto de roupas, dezenas de sapatos e sacolas de grife (veja o vídeo acima).

Outros registros do imóvel mostram diversos cômodos luxuosos, como a varanda com um enorme lustre, além de uma churrasqueira e uma mesa com oito cadeiras. Também é possível ver uma escada e parte da cozinha com decoração na cor cinza.

Imagem mostra parte da cozinha do apartamento da ‘Japa do crime’ — Foto: g1 Santos

No apartamento no bairro Tatuapé, Karen também mantinha um espaço com diversos artigos religiosos, como um terço e imagens das religiões católica e hindu (veja abaixo).

Varanda e espaço com artigos religiosos na casa da ‘Japa do crime’ — Foto: g1 Santos

Karen de Moura Tanaka Moris tem 37 anos e é formada em enfermagem, mas trabalhou recentemente como empresária no ramo de beleza. Ela é viúva de Wagner Ferreira da Silva, o ‘Cabelo Duro’, um dos chefes da organização executado a tiros em 2018.

Antes dos comércios, Karen chegou a trabalhar na enfermagem. “É formada em grau superior, pós-graduada e trabalhou durante muitos anos, mas abandonou a área para se tornar empresária do ramo de beleza”, esclareceu o defensor.

João Armôa ainda esclareceu que a mulher nasceu em Santos, mas não tem vínculo com a Baixada Santista desde que se formou na faculdade em 2008, pois constituiu a vida na capital.

A residência em Bertioga, que foi alvo de mandado de busca, é de veraneio. “É uma casa alugada, de veraneio”, afirmou o advogado.

Ela tem um único filho, que é menor de idade. O pai é Wagner Ferreira da Silva, mas a defesa de Karen garante que a mulher não tinha conhecimento das atividades ilícitas praticadas pelo homem até a morte dele em 2018.

Karen de Moura Tanaka Moris é viúva de Wagner Ferreira da Silva — Foto: Divulgação/Polícia Civil e Reprodução

Wagner também era conhecido como Waguininho e Magrelo. Ele é suspeito de participar de roubos em marinas de luxo no litoral paulista e do assassinato de um policial militar. A polícia apura se Wagner desviou dinheiro ou estaria envolvido nos assassinatos de outros dois membros da facção: Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca.

Polícia de SP investiga execução de criminoso a tiros de fuzil

Polícia de SP investiga execução de criminoso a tiros de fuzil

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

pm-prende-suspeito-de-envolvimento-na-morte-de-chefe-do-setor-de-identificacao-da-policia-civil

G1 Santos

PM prende suspeito de envolvimento na morte de chefe do setor de identificação da Polícia Civil

Benny Piphanio Van Chaaf, de 42 anos, foi preso pela PM suspeito de ter participado da morte do policial civil Marcelo Cassola. A detenção dele aconteceu em Santos, no litoral de São Paulo, e é a quarta de supostos envolvidos no assassinato. O corpo de Marcelo Cassola foi encontrado por policiais militares em patrulhamento pelo bairro Caneleira, em agosto de 2022. Ele estava com uma corda entre as mãos e […]

today8 de abril de 2024 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%