G1 Mundo

Kiev muda versão sobre comandante da frota russa que dizia ter matado, e Rússia divulga novo vídeo; ASSISTA

today27 de setembro de 2023 19

Fundo
share close

A Ucrânia recuou e disse que vai rechecar a identidade dos 34 militares que afirmou ter matado na sexta-feira (22), quando mísseis ucranianos atingiram o quartel-general da frota russa no mar Negro, na Crimeia– a ação foi uma das principais contraofensivas desde o início da guerra, e Kiev disse que o comandante-geral da frota russa no mar Negro, Viktor Sokolov, está entre os mortos.

Já a Rússia divulgou um novo vídeo nesta quarta no qual o comandante-geral, Viktor Sokolov, dá entrevistas e chega a falar em “eventos recentes em Sebastopol (cidade na Crimeia onde fica o quartel-general)”.

As imagens, no entanto, não têm data, assim como o vídeo divulgado na segunda-feira pela agência de notícias russa RIA, no qual ele aparece por alguns segundos durante uma suposta reunião virtual com o ministro da Defesa, Sergei Shoigu.



No novo vídeo, desta terça, Sokolov aparece em uma cerimônia de homenagem a um time de futebol (veja vídeo acima). Na sequência, ele dá uma entrevista, na qual não menciona o ataque específico ao quartel-general nem a alegação de Kiev de que ele teria morrido.

Ele foi perguntado sobre “eventos recentes no porto de Sebastopol” – uma semana antes do bombardeio ao quartel-general, a Ucrânia lançou mísseis sobre navios militares que estavam em reparação em um porto da Crimeia, a península ucraniana invadida e anexada pela Rússia em 2014.

“Nada aconteceu, a vida continua”, disse Sokolov a repórteres.

O vídeo não tem data, e o Ministério da Defesa russo, que divulgou as imagens, também não afirmou se as imagens são recentes.

Grupos pró-Rússia no Telegram haviam divulgado a informação de que o time homenageado na cerimônia com Sokolov mostrada no vídeo, o Black Sea Fleet, venceu um campeonato local em 18 de setembro, e a homenagem dias depois.

Ucrânia diz que vai rever dados

Também nesta terça, o governo ucraniano disse que vai rever a informação de que Sokolov estava entre os 34 militares que, segundo Kiev, morreram no bombardeio ao quartel-general.

Na noite de segunda-feira (26), o ministro de Defesa da Ucrânia, Rustem Umerov, não confirmou se Sokolov de fato morreu, quando questionado pela jornalista Christiane Amanpour, em entrevista à CNN Internacional.

“Ele está em nosso território, não deveria estar lá. Então, se ele estiver morto, é uma boa notícia”, declarou.

Embora sem data, as imagens, divulgadas pela agência de notícias estatal russa Ria, mostram Sokolov supostamente em uma reunião virtual “da cúpula da Defesa” com o ministro da Defesa, Sergei Shoigu. Na reportagem, a Ria também não diz quando ocorreu a reunião.

Vídeo mostra momento em que míssil ucraniano atinge quartel-general russo na Crimeia

Vídeo mostra momento em que míssil ucraniano atinge quartel-general russo na Crimeia

O episódio vem dando demonstrações diárias da guerra de narrativas que Moscou e Kiev mantêm desde o início da guerra na Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022.

Neste caso, o governo ucraniano disse que o ataque matou 34 membros da Marinha russa, entre eles Sokolov. O Kremlin reconheceu ter sido atacado por mísseis ucranianos, mas, desde o dia do bombardeio, na sexta-feira (22), afirma que apenas um militar morreu.

O bombardeio, com uma série de mísseis de alta precisão a grandes distâncias fornecidos pelos Estados Unidos e pela Europa, aconteceu durante uma reunião de altos cargos no quartel-general (leia mais abaixo), o que pode explicar o grande número de oficiais mortos.

A guerra de versões entre Ucrânia e a Rússia não é novidade – desde o início da invasão russa ao país vizinho, em fevereiro de 2022, os dois governos trocam informações desencontradas ou negam a versão do governo adversário.

Um dos gargalos desse conflito é que muitas dessas informações não podem ser verificadas, seja por terem acontecido no front de batalha ou em território russo, onde a imprensa internacional e a nacional de oposição têm sido perseguida e deixado o país.

Rússia divulga vídeo de comandante-geral que Ucrânia diz ter matado

Rússia divulga vídeo de comandante-geral que Ucrânia diz ter matado

O caso do bombardeio ao quartel-general foi diferente:

  • Tanto a Ucrânia a Rússia confirmaram o ataque – por parte de Kiev, tem sido praxe não falar sobre explosões em território russo. No entanto, esta foi uma das principais contraofensivas desde o início da guerra, e relatórios feitos por serviços de inteligência do Ocidente apontam a possibilidade de que Kiev esteja fazendo ataques mais “midiáticos” para compensar o avanço tímido de sua operação de contraofensiva no front de batalha.
  • A Rússia reconheceu o ataque, que só aconteceu por uma falha em seu sistema de defesa antiaéreo – o Instituto para Estudos da Guerra, um think tank dos Estados Unidos, aponta para a possibilidade de que uma parte significativa desse arsenal de defesa possa já ter sido destruída durante a guerra da Ucrânia.
  • A foto de Sokolov foi divulgada um dia depois de a Ucrânia afirmar tê-lo matado.

O Kremlin ainda não havia se pronunciado sobre a afirmação de que o comandante-geral morreu nos bombardeios até a última atualização desta notícia.

Explosões destroem parte da única ponte entre Rússia e Crimeia

Explosões destroem parte da única ponte entre Rússia e Crimeia

Nos últimos meses, uma série de ataques, principalmente com drones, atingiu a Crimeia, segundo autoridades russas na península. Moscou culpa Kiev.

Há três semanas, a região foi bombardeada com mísseis que atingiram navios em reparação em um porto, também segundo Moscou.

O ataque deixou dois mortos, danos para a infraestrutura russa e foi carregado de simbolismo: além de ser um dos primeiros sinais de contraofensiva da Ucrânia, a ponte foi construída pela Rússia após a anexação da Crimeia e inaugurada pessoalmente pelo presidente russo, Vladimir Putin.

Uma mulher posa ao lado de uma obra de arte que retrata a ponte Kerch em chamas, em meio ao ataque da Rússia à Ucrânia, no centro de Kiev, Ucrânia, em 8 de outubro de 2022 — Foto: REUTERS/Vladyslav Musiienko




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

de-volta-a-inglaterra,-antony-tera-reuniao-com-a-policia-para-falar-sobre-acusacao-de-agressao,-diz-imprensa-local

G1 Mundo

De volta à Inglaterra, Antony terá reunião com a polícia para falar sobre acusação de agressão, diz imprensa local

Ele deve apresentar o celular de uso particular para a polícia, dizem as reportagens. Antony deveria voltar aos treinos no dia 11 de setembro, mas está afastado pelo clube Manchester United, em que joga desde agosto de 2022. Uma ex-companheira do jogador, Gabriela Cavallin, fez denúncias para a polícia de Manchester acusando-o de violência doméstica, lesão corporal e ameaça. Outra antiga companheira, Ingrid Lana, também fez acusações na polícia inglesa. […]

today27 de setembro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%