G1 Mundo

Lula e Maduro discutiram eleições na Venezuela, mas não falaram de Essequibo, diz Planalto

today1 de março de 2024 8

Fundo
share close

O encontro bilateral ocorreu à margem da 8ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), em Kingstown, capital de São Vicente e Granadinas. O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, também participou.

Lula tem proximidade com Maduro e quer usar essa condição para influenciar o presidente venezuelano a promover eleições limpas e transparentes no país. Maduro é herdeiro político do ex-presidente Hugo Chávez, morto em 2013, e governa a Venezuela desde então. Organismos internacionais atestam que as eleições venezuelanas que mantiveram Maduro no poder não foram livres e temem que a deste ano siga o mesmo destino.

O Palácio do Itamaraty busca, por meios diplomáticos, levar a Venezuela a cumprir o acordo de Barbados, que determina eleições transparentes no país. Segundo analistas, os esforços de Lula e dos diplomatas não devem mudar as intenções de Maduro. A oposição no país vizinho vem denunciado cerceamento de liberdade eleitoral.



“O líder venezuelano disse ter articulado um amplo acordo com partidos de oposição na Assembleia Nacional de seu país e sustentou que haverá observadores internacionais e auditoria para garantir a lisura do pleito”, disse o Planalto em nota.

Segundo o governo brasileiro, a conversa durou pouco mais de uma hora e Lula e Maduro.

Além disso, informou o Palácio do Planalto, Lula e Maduro trataram sobre o contexto econômico, comércio bilateral entre os dois países, e também discutiram parcerias para frear o garimpo ilegal nas regiões fronteiriças, specialmente nas terras indígenas Yanomami, que abrangem áreas dos dois países.

Segundo o Planalto, a cooperação é importante porque os criminosos frequentemente atravessam a fronteira para escapar de forças de policiamento.

Lula pede fim do que chamou de ‘genocídio em Gaza’ durante discurso na Celac

Lula pede fim do que chamou de ‘genocídio em Gaza’ durante discurso na Celac

De acordo com o Planalto, Lula e Maduro não trataram da crise entre Venezuela e Guiana em torno da região de Essequibo. No último ano a Venezuela voltou a reivindicar que Essequibo faz parte de seu território, hoje a região pertence ao território guianês.

Segundo o governo brasileiro, Lula afirmou que, assim como ocorreu na quinta-feira (29), na reunião bilateral com o presidente Irfaan Ali, da Guiana, a questão de Essequibo não foi debatida na bilateral com Maduro.

“O presidente brasileiro já havia expressado na quinta-feira que o tema pode ser debatido posteriormente, em fórum mais apropriado, e que o Brasil sempre estará disponível para contribuir na perspectiva de promoção e manutenção da paz no continente”, diz o comunicado do Planalto.

Conversa com presidente da Bolívia

Também nesta sexta, Lula se reuniu bilateralmente com o presidente da Bolívia, Luis Arce. De acordo com o governo brasileiro, os dois líderes conversaram sobre a possibilidade de investimento da Petrobras na prospecção de gás natural em territórios boliviano.

Além disso, falaram do interesse da Bolívia em parceria com Brasil para a possível exploração de lítio, o país sul-americano possui uma das maiores reservas certificadas de lítio do mundo, com cerca de 23 milhões de toneladas.

Ainda segundo o Planalto, Lula e Arce também trataram de obras de infraestrutura para a integração entre os dois países, como a construção da ponte que vai ligar Guajará-Mirim (RO), no Brasil, a Guayaramerín, na Bolívia, com previsão de conclusão em 2027.

Os dois presidentes também discutiram a hidrovia Ichilo – Mamoré, que prevê uma rota mais vantajosa para a Bolívia exportar produtos para a Europa e cujo caminho passa pela Amazônia brasileira.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

alckmin-diz-que-‘ataque-de-israel-contra-civis’-em-gaza-e-‘inconcebivel’-e-que-luta-pela-paz-e-um-‘imperativo-etico’

G1 Mundo

Alckmin diz que ‘ataque de Israel contra civis’ em Gaza é ‘inconcebível’ e que luta pela paz é um ‘imperativo ético’

Na ocasião, o governo do Hamas acusou soldados israelenses, que intermediavam a distribuição, de abrir fogo contra palestinos. Cerca de 750 pessoas também ficaram feridas. No X, antigo Twitter, Alckmin afirmou que ficou chocado com o ataque de Israel. "Fiquei absolutamente chocado com a notícia do ataque contra civis palestinos na Faixa de Gaza, perpetrado por forças militares israelenses, que vitimou dezenas de pessoas e feriu outras centenas. Obstar o […]

today1 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%