G1 Mundo

Lula viaja nesta semana para Egito e Etiópia, dois novos integrantes do Brics

today12 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

O giro de Lula pela África é parte da estratégia do presidente de diversificar os parceiros do Brasil nas relações exteriores. Lula também busca fortalecer alianças com países em desenvolvimento, investindo na chamada diplomacia sul-sul (em referência ao sul global).

Neste ano, o presidente ainda não fez viagem internacional. Começar pela África demonstra a importância que ele quer dar ao continente.

No Egito, os destaques da agenda de Lula serão reuniões bilaterais com o presidente do país, Abdul Fatah Khalil Al- Sisi,. Também está prevista uma visita do presidente à Liga dos Estados Árabes



Na Etiópia, Lula vai participar, como convidado, da 37ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo da União Africana, entidade que reúne as 55 nações da África.

Terceiro grupo de brasileiros e palestinos cruza a fronteira com o Egito

Terceiro grupo de brasileiros e palestinos cruza a fronteira com o Egito

Relações comerciais e guerra

Lula chega ao Cairo, capital do Egito, na terça-feira (14). As reuniões com o presidente Abdul Fatah Khalil Al- Sisi estão marcadas para o dia seguinte, quarta (15).

De acordo com o Palácio do Itamaraty, o Brasil estreitou laços com o Egito durante as negociações para retirar brasileiros da região do conflito da Faixa de Gaza. A saída passava necessariamente pelo território egípcio. O governo quer aproveitar o canal diplomático aberto para intensificar o diálogo com o país africano.

“O Egito é um ator importante na região. Esse diálogo se deu nos mais diversos níveis para conseguir a repatriação dos brasileiros. Essa circunstância tornou a relação ainda mais importante”, afirmou o embaixador Carlos Duarte, secretário de África e Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores, durante apresentação para jornalistas sobre a viagem de Lula.

A guerra entre Israel e o Hama será um dos tópicos de conversa do presidente Lula com Al-Sisi. Mas o Brasil também quer falar de relações comerciais. O Egito é visto como parceiro estratégico na África.

“É um comércio forte e diversificado, especialmente nos produtos agrícolas”, afirmou o embaixador.

O governo brasileiro espera que o Egito aprove nos próximos meses novos abatedouros e frigoríficos no Brasil para exportação de carne bovina. Em 2023, o país africano diversificou as compras do Brasil e passou a importar peixes e derivados, carne de aves, algodão, gelatina e colágeno.

Os governos de Brasil e Egito também deverão conversar sobre a criação de uma linha aérea ligando São Paulo e o Cairo.

No dia 16 de fevereiro, Lula chega à capital da Etiópia, Adis Abeba. A participação na Cúpula da União Africana está marcada para os dias 17 e 18.

Na visão do Itamaraty, o convite feito a Lula demonstra o reconhecimento do continente africano aos esforços do Brasil para construir pontes com a região. O Brasil apoiou tanto a entrada do Egito quanto a da Etiópia no Brics.

A relação com a Etiópia ainda não é tão desenvolvida, mas o governo brasileiro vê potencial para crescimento.

“É também um País com o qual o Brasil pode desenvolver um comércio mais forte. É um País que tem tido um crescimento econômico forte e significativo e é um mercado importante. O Brasil pode se beneficiar tendo uma presença maior na Etiópia”, explicou o embaixador Carlos Duarte.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-liberta-dois-refens-argentinos-em-operacao-em-gaza;-hamas-diz-que-acao-deixou-67-mortos

G1 Mundo

Israel liberta dois reféns argentinos em operação em Gaza; Hamas diz que ação deixou 67 mortos

O governo local, controlado pelo Hamas, acusou o Exército israelense de ter matado 67 pessoas durante a operação, conduzida durante a madrugada de segunda-feira (12), pelo horário local — noite de domingo (11), no Brasil. O governo de Israel não havia se manifestado sobre a acusação até a última atualização desta notícia. Segundo os militares, os reféns são dois homens, identificados pelo governo argentino como Fernando Simon Marman e Louis […]

today12 de fevereiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%