G1 Mundo

Mais de 130 agentes de prisões são mantidos reféns no Equador durante onda de violência

today10 de janeiro de 2024 4

Fundo
share close

As autoridades falaram pouco sobre os reféns nas prisões, embora a agência prisional (SNAI) tenha dito que 125 deles são guardas, enquanto 14 são funcionários administrativos. Onze pessoas foram libertadas na terça-feira, segundo a agência.

“A polícia nacional e as Forças Armadas estão trabalhando para salvaguardar a integridade dos funcionários do serviço de segurança prisional que estão detidos”, disse a SNAI em uma mensagem aos jornalistas nesta quarta-feira. “Estamos aguardando informações oficiais sobre a situação.”

Vídeos que circulam nas mídias sociais mostraram funcionários da prisão sendo submetidos a violência extrema, incluindo tiros e enforcamento. A Reuters não pôde verificar imediatamente a autenticidade dos vídeos.



Quatro policiais, que as autoridades dizem ter sido sequestrados por criminosos entre segunda e terça-feira, também estão sendo mantidos reféns. Três outros policiais foram libertados no final da terça-feira.

Ele endureceu o decreto na terça-feira, após uma série de explosões em todo o país e a tomada de uma estação de TV por homens armados durante uma transmissão ao vivo.

O governo disse que a violência é uma reação ao plano de Noboa de construir uma nova prisão de alta segurança para os líderes de gangues. Ele assumiu o cargo em novembro prometendo enfrentar um problema de segurança crescente causado pelas gangues de tráfico de drogas que transportam cada vez mais cocaína pelo país.

Houve 70 prisões desde segunda-feira em resposta a incidentes de violência, incluindo a tomada da estação de TV, informou a polícia na quarta-feira.

A violência continuava em Guayaquil, a maior cidade do país, disse a polícia, acrescentando que estava identificando três corpos encontrados em um carro incendiado ao sul da cidade durante a noite.

Dois policiais foram mortos por homens armados na terça-feira na província de Guayas, onde fica Guayaquil. A polícia não forneceu mais detalhes.

As ruas de Quito e Guayaquil estavam calmas na manhã desta quarta-feira, com muitas empresas fechadas.

A embaixada e os consulados chineses estarão temporariamente fechados, informou a China, um grande investidor no Equador.

As escolas foram fechadas em todo o país, com as aulas sendo ministradas virtualmente. Os moradores disseram que a sensação era de um retorno aos confinamentos da pandemia.

“É horrível, as ruas estão muito vazias”, disse o guarda Rodolfo Tuaz, de 40 anos, de Guayaquil “É um ambiente muito frio, como se houvesse uma nova Covid.”

Governo do país reconheceu que vive-se uma situação de conflito armado interno




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

noboa-diz-que-equador-vive-‘estado-de-guerra’-contra-grupos-terroristas;-pais-tem-ruas-desertas-e-clima-de-medo

G1 Mundo

Noboa diz que Equador vive ‘estado de guerra’ contra grupos terroristas; país tem ruas desertas e clima de medo

A uma rádio, Noboa disse que, para os criminosos, seria interessante que o governo classificasse as 22 facções que atuam no país como organizações criminosas, e não como terroristas. "Vivemos em um estado de conflito, um estado de guerra [e nesse caso] se aplicam outras leis, aplica-se também o direito humanitário internacional, que é diferente do direito comum do Equador", afirmou. Como terroristas, os criminosos passam a ser alvos militares, […]

today10 de janeiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%