G1 Mundo

‘Me sinto um anjo da morte’: o brasileiro encarregado de avisar famílias em Israel sobre morte de parentes

today17 de outubro de 2023 3

Fundo
share close

Mas desde que uma incursão do Hamas deixou mais de 1.300 mortos no país, a demanda por esses serviços chegou a um nível nunca antes registrado. Com isso, oficiais das Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) que não participam normalmente dos esforços de comunicação com famílias de vítimas foram convocados para essa missão.

O brasileiro Rafael* é major do Exército e foi um dos intimados. Desde a última sexta-feira (13/10), ele tem visitado em média três famílias por dia para levar a notícia sobre a morte de um ente querido.

“Quando bato na porta dessas famílias, me sinto como um anjo da morte”, afirmou à BBC News Brasil.



“Mas sei que esse trabalho é muito importante, pois dá a oportunidade da família de ter certeza sobre o que aconteceu com o seu ente querido e poder enterrá-lo.”

Esta é a primeira vez que Rafael assume essa função. Há 14 anos no Exército de Israel, o brasileiro natural do Rio de Janeiro trabalha com aconselhamento jurídico nas IDF.

“Há pessoas no Exército que cumprem essa função regularmente, mas como a quantidade de mortos chegou a uma dimensão gigante, a quantidade de oficiais treinados para esse tipo de missão não foi suficiente”, diz.

O militar conta que passou por um treinamento de quatro horas antes de começar a tarefa. “Na nossa preparação eles disseram que, principalmente nos primeiros dias, poderíamos ficar muito abalados, sem apetite e sem sono”, diz. “E isso realmente está acontecendo – é difícil de dormir e de comer.”

“Mas eu continuo logicamente fazendo as refeições e tentando dormir, porque eu sei que se não fizer isso existirão mais uma, duas, três, quatro, cinco famílias que não vão receber informações sobre seus parentes.”

Rafael conta que algumas das visitas que mais o marcaram foram às casas de famílias com crianças e adolescentes.

Em uma delas, teve que dar a notícia sobre o falecimento de uma jovem de 17 anos ao seu pai. Ela passava a noite com o namorado em uma praia próxima à Faixa de Gaza quando o casal foi atacado pelo Hamas.

“Quando nós demos a notícia para esse pai, ele disse que no dia anterior havia visto uma foto de sua filha na televisão, entre as das pessoas que provavelmente foram sequestradas”, diz.

“Ele falou que tinha ficado com uma certa esperança – se é que alguém pode ter esperança de um filho ser sequestrado – de que ela estivesse viva ainda”

Em outra viagem, visitou os pais de uma mulher de 30 anos que foi assassinada dentro de sua própria casa. Seu marido está desaparecido.

“Eles deixaram dois filhos gêmeos de 10 meses que só sobreviveram porque os pais conseguiram colocá-los dentro do bunker e trancar o quarto antes dos terroristas chegarem”, relata.

“Está sendo muito difícil, eu não paro de pensar nas famílias. São pais que nunca mais vão ver seus filhos, são crianças que vão crescer sem os pais.”

‘É difícil dormir’, diz militar brasileiro que atua no Exército de Israel — Foto: ARQUIVO PESSOAL

Segundo Rafael, muitas dos familiares das vítimas do ataque do dia 7 de outubro terão que esperar muitos dias antes de receber notícias sobre seu ente querido.

“O reconhecimento dos corpos está difícil, pois alguns deles estão totalmente destruídos. Com isso as confirmações das mortes demoram a chegar”, diz.

“Há mais de 600 pessoas desaparecidas e uma grande quantidade delas, infelizmente, estão mortas, mas o reconhecimento dos corpos ainda não foi possível.”

Rafael mora em Israel há 20 anos. “Eu sou um judeu sionista e sei que o Estado de Israel está voltado para receber os judeus de todo mundo”, diz.

“Mas gosto muito do Brasil e visito com frequência. É um país que recebeu muito bem o meu avô, que foi sobrevivente do Holocausto.”

A incursão do dia 7 foi considerada o ataque transfronteiriço mais sério que Israel enfrentou em mais de uma geração.

Membros do Hamas violaram a cerca que separa Gaza de Israel em vários lugares, invadiram vilarejos e mataram mais de 1.300 pessoas. Estima-se que cerca de 199 pessoas tenham sido sequestradas.

Os combatentes também dispararam milhares de foguetes a partir da Faixa de Gaza, alguns dos quais atingiram cidades tão distantes quanto Tel Aviv e Jerusalém.

Em resposta, Israel lançou uma série de ataques aéreos contra a Faixa de Gaza nos dias seguintes. O saldo de mortes em Gaza por bombardeios de retaliação israelenses chegou a 2,4 mil pessoas no domingo (15/10).

Além disso, segundo as autoridades palestinas, cerca de mil pessoas estão desaparecidas em escombros de prédios bombardeados.

No último final de semana, as Forças Armadas do país também anunciaram que se preparam para novos ataques contra Gaza por terra, ar e mar. Mais de 1,1 milhão de palestinos que vivem no norte da Faixa estão evacuando a região para fugir do iminente ataque.

A crise humanitária no enclave palestino está cada vez mais aguda e há um crescente temor de uma escalada regional envolvendo outros países da região, como Líbano e Irã.

*A BBC omitiu o sobrenome do militar por questões de segurança




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

atirador-que-matou-dois-suecos-durante-ataque-na-belgica-e-baleado-e-detido

G1 Mundo

Atirador que matou dois suecos durante ataque na Bélgica é baleado e detido

A mídia local diz que o homem morreu no hospital, devido aos ferimentos, mas a polícia não confirmou a morte dele. A Bélgica elevou ao nível máximo o alerta de terrorismo após o ataque, que aconteceu na segunda-feira (16). Além dos dois mortos, o ataque deixou uma terceira pessoa ferida. O responsável pelo ataque seria um homem chamado Abdesalem Al Guilani, de 45 anos, segundo as autoridades. Ele publicou um […]

today17 de outubro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%